Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
99 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57381 )
Cartas ( 21182)
Contos (12607)
Cordel (10139)
Crônicas (22258)
Discursos (3139)
Ensaios - (9064)
Erótico (13414)
Frases (44146)
Humor (18586)
Infantil (3848)
Infanto Juvenil (2803)
Letras de Música (5476)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138550)
Redação (2942)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2408)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4944)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Artigos-->“Não tenho medo da morte, tenho medo da desonra!” -- 29/03/2011 - 17:20 (Marcelo de Oliveira Souza,IWA Instagram:marceloescritor) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
“Não tenho medo da morte, tenho medo da desonra!”





Com essa célebre frase o empresário e ex-vice presidente do Brasil, José de Alencar se despede da vida, após uma batalha incessante contra um câncer no intestino.

O Brasil assistiu a toda essa saga contra uma doença democrática, que se difere apenas no seu tratamento e sofrimento, pondo o próprio falecido num certo constrangimento, pois nesse país avançado na medicina, ainda tem muito sofrimento de pessoas por causa de uma simples fila, imagine quando for uma doença terminal, como no caso desse grande homem, morre antes da primeira consulta.

José Alencar Gomes da Silva, 79 anos de idade, um dos maiores empresários do pais se despede com a cabeça erguida, morto sim, desonrado nunca! Ficando para a história uma grande lição para muitas pessoas e principalmente políticos.



Marcelo de Oliveira Souza



Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui