Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
127 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57784 )
Cartas ( 21194)
Contos (12696)
Cordel (10211)
Crônicas (22323)
Discursos (3143)
Ensaios - (9130)
Erótico (13429)
Frases (44612)
Humor (18715)
Infantil (3977)
Infanto Juvenil (2918)
Letras de Música (5483)
Peça de Teatro (1321)
Poesias (138434)
Redação (2958)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2413)
Textos Jurídicos (1931)
Textos Religiosos/Sermões (5051)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cordel-->CANTADORES, REPENTISTAS E POETAS POPULARES -- 30/07/2003 - 18:28 (José de Sousa Dantas) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
CANTADORES, REPENTISTAS E POETAS POPULARES
Livro de JOSÉ ALVES SOBRINHO, lançado em 26/07/2003, em João Pessoa – PB.
Belíssimas estrofes extraídas do LIVRO:

JOSÉ ALVES SOBRINHO
No nordeste brasileiro
da Bahia ao Maranhão,
do litoral ao sertão
encontram-se os violeiros
e os poetas folheteiros,
as mãos cheias de exemplares,
poemas, trovas, cantares
feitos por esses artistas:
Cantadores, Repentistas
e Poetas Populares.

LOURIVAL BATISTA
Um cientista profundo
perguntou-me certa vez,
se eu conhecia os três
desmantelos deste mundo.
Eu respondi num segundo:
DOIDO, MULHER E LADRÃO.
E disse mais a razão:
doido não tem paciência,
ladrão não tem consciência,
MULHER NÃO TEM CORAÇÃO.

SERRA BRANCA
Limeira meu negro velho,
você está em perigo:
um homem de sua idade,
quando vem cantar comigo,
só corta por onde eu risco,
só engole o que eu mastigo.

ZÉ LIMEIRA
Você cantando comigo,
o sacrifício é maior:
porque não canta improviso
nem sabe nada de cor,
quanto mais você se apura,
mais eu lhe acho pior.

ANTÔNIO NUNES DE SÁ
Vivo aqui, muito distante
da minha terra querida,
já vivi da minha vida
a parte mais importante,
porém como sou amante
das coisas do meu rincão,
guardo no meu coração
o que vi na mocidade.
Eu tenho muita saudade
do meu querido sertão.

OTÁVIO PINHEIRO FILHO
Teus olhos acastanhados,
tua boca angelical,
teu sorriso sensual
e teus lábios carminados,
teus cabelos ondulados,
tudo em perfeita harmonia,
tudo teu tem poesia
e me provoca o desejo
profundo de dar-te um beijo.
Deixa beijar-te Maria.

JOSÉ ALVES SOBRINHO
Brasil de caracaxá,
do quengo, do cacareco,
do fole, do reco-reco,
do pandeiro, do ganzá,
do chibé, do aluá,
baião de dois, rubacão,
da farofa, do pirão,
da tapioca de coco,...
Este é Brasil de caboco,
de mãe preta e pai João.

JOSÉ ALVES SOBRINHO
Cantando sempre vivi,
o cantar me dá prazer,
cantando hei de morrer,
porque chorando nasci,
chorando sempre perdi,
quero cantar até quando
Deus quiser, sempre sonhando,
sem gemer e sem chorar,
Cantando hei de encontrar
tudo que perdi chorando.

OTACÍLIO BATISTA
Somos três irmãos poetas,
três cantadores iguais,
no repente, na colcheia,
e em rimas colossais,
pode chegar cantador,
que nós três cantamos mais.

JOSÉ ALVES SOBRINHO
Vocês três são desiguais:
Dimas sé tem teoria,
Lourival é repentista,
porém não tem melodia,
você é melodioso,
mas tem pouca poesia.

JOÃO SILVEIRA
Hoje aqui se comemora
duas datas importantes:
Pai e filho neste dia
são aniversariantes,
nós precisamos saudar
os dois nataliciantes.

JOSÉ ALVES SOBRINHO
Dois aniversariantes,
em idades diferentes:
o pai está entre os adultos,
o filho entre os inocentes,
o pai mudando os cabelos,
o filho mudando os dentes.

CANHOTINHO
Sei que hei de morrer um dia
isto é que queira quer não,
mas sei que quando partir
os meus versos ficarão,
passando de boca em boca,
meu nome de mão em mão.

MANOEL GALDINO BANDEIRA
Manoel Galdino Bandeira
de São José de Piranha,
dá grito no pé da serra,
chega estremece a montanha,
cantador nas minhas unhas
ou corre ou morre ou apanha.

PINTO DE MONTEIRO
Eu como ando em companha,
no solo paraibano,
se eu pegar sua bandeira,
queimo a haste e rasgo o pano,
que o remendo menor,
pra costurar leva um ano.

JOÃO FURIBA
Pinto velho de Monteiro,
de anos tem quase cem,
viveu sem juntar dinheiro,
não vai deixar um vintém,
que o povo da terra dele
não dá a mão a ninguém.

PINTO DE MONTEIRO
Eu conheço muito bem
a sua taquaritinga:
em cima só tem lajedo
e embaixo é só caatinga,
em cima nunca choveu,
no pé da serra não pinga.

BIU GOMES
O sabiá do sertão
faz coisa que me comove:
passa três meses cantando
e sem cantar passa nove,
como que se preparando,
pra só cantar quando chove.

JÓ PATRIOTA
No jogo do improviso,
sou artista competente,
traço o baralho dos versos
e sei jogar meu repente,
no pife-pafe das rimas,
ninguém bate em minha frente.

MANOEL SOARES
Eu sou mais experiente
e você se desapruma,
trace o baralho das rimas,
que eu corto em cima, na ruma,
jogo com dois melés,
você não te nenhuma.

OLÍVIO JOSÉ DE OLIVEIRA
Sou o maior repentista
que pisa neste terreno,
pode chegar qualquer um,
rico, alvo ou moreno,
quando chega aqui é grande,
mas quando sai é pequeno.

PEDRO AMORIM
Todo cantador pequeno,
pensa que é grande e sabido:
sempre conta que venceu,
nunca diz que foi vencido,
acho que com meu colega,
isto tem acontecido.

CANTADOR NÃO IDENTIFICADO
ODILON, você está velho,
não tem mais sonoridade,
o pensamento já falha;
Um homem da sua idade
só serve pra duas coisas:
chorar e contar saudade.

ODILON NUNES DE SÁ
Admiro a mocidade
não querer envelhecer,
velho ninguém quer ficar,
moço ninguém quer morrer,
quem morre moço não vive,
bom e ser velho e viver.

SEBASTIÃO DA SILVA
A casa que morei nela,
que fui feliz com meus pais,
só restam teias de aranha,
cupim roendo os frechais,
é um poema de angústias,
de saudades,nada mais..

VALDIR TELES
Só restam mesmo os frechais
e a cumeeira pendida,
um fogão velho de lenha,
a mesa velha encardida,
mas pra mim foi a morada
melhor que eu tive na vida.

ARNALDO CIPRIANO DE SOUZA
Esta viola bonita,
que eu conduzo em minha frente,
do jeito que ela tem boca,
se tivesse língua e dente,
talvez contasse a metade
da dor que meu peito sente.

JOSÉ BERNARDINO DE OLIVEIRA
O que diz o cidadão,
nem mesmo um professor sabe,
mesmo este assunto não cabe
na minha compreensão,
não sei se antes de Adão,
esse negócio já vinha,
nem sei se antes já tinha,
ovo, galinha e poleiro,
não sei quem nasceu primeiro,
se avo, galo ou galinha.

BELARMINO DE FRANÇA
Andei a primeira vez,
de quatro pés e depois
comecei a andar de dois,
e hoje ando de três,
mas assim Deus não me fez,
não nasci desta maneira.
Uso este pé de madeira,
por uma necessidade;
oitenta e cinco de idade
não é boa brincadeira.

JOSÉ VILANOVA (Pai de Ivanildo Vilanova)
O vício da embriaguez
em meu feitio não mora,
por isso fico de fora,
deste sarau de vocês,
beber a primeira vez,
pra mim é coisa custosa,
vou tomar uma gasosa,
que nada de mal concebe,
aqui só glosa quem bebe,
quem não beber nada glosa.

OTACÍLIO BATISTA
Fazer o bem é perdido,
fazer o mal não convém,
entre a maldade e o bem,
quem faz o bem é traído.
Eu não fui compreendido,
quando tive compaixão
de quem me estendia a mão,
desejando ser feliz:
A quem mais favor eu fiz
Só me fez ingratidão.

MANOEL BELARMINO
No meu tempo de criança,
ou em casa ou no caminho,
quando encontrava um velhinho,
estranho ou da vizinhança,
com a voz humilde e mansa,
dizia “bênção seu Zé”,
e ele na boa fé
dizia: “Deus te abençoe”,
veja o passado o que foi,
veja o presente o que é.

JÓ PATRIOTA
Estes teus seios pulados,
que estão me desafiando,
são dois carvões faiscando,
no fogão dos meus pecados,
são dois punhais afiados,
que já ferem dois cristãos,
para o meus lábios pagãos,
são dois sapotis maduros,
Quero ver teus seios puros
nas conchas de minhas mãos.

SEVERINO PINTO
Vaqueiro é pra tirar couro,
espichar, fazer correia,
azeitar cabresto e peia,
tirar leite e beber soro,
visitar o logradouro,
curtir couro, fazer sola,
pra rabicho e rabichola,
ferrar gado e capar bode,
Quem é vaqueiro não pode
ser cantador de viola.

JOSÉ VICENTE
Só o presente me diz
tudo que fiz no passado,
caminho certo ou errado,
nas caminhadas que fiz,
só mesmo o destino quis
modificar minha mente,
o corpo velho e doente
mantém as rugas da cara.
A saudade não separa
o passado do presente.

JOSÉ ALVES DE MIRA-FLOR
Disse assim o tentador
com Jesus na solidão:
converte pedras em pão,
tentando a Nosso Senhor,
o Divino Salvador,
com frases que não se somem,
mostrou que os justos não comem,
repelindo o anjo audaz;
retira-te satanás,
Nem só de pão vive o homem.

MANOEL DODÔ
Na profissão de carreiro,
eu faço tudo e não deixo,
compro sebo ensebo o eixo,
a canga e o tamoeiro,
sete palmos de fueiro
medidos na minha mão,
uma vara de ferrão,
dois canzis de mororó:
carro de boi e forró
faz eu gostar do sertão.

ARNALDO CIPRIANO
A mulher do meu encanto
saiu comigo em passeio,
eu guiando um veraneio,
de uísque bebi um tanto,
chegando no Bel-recanto,
fomos dar ar no pneu,
a câmara de ar encheu,
no nono mês estourou:
Eu pequei, ela pecou,
mas o culpado fui eu.

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 69Exibido 5317 vezesFale com o autor