Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
314 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57969 )
Cartas ( 21205)
Contos (12801)
Cordel (10235)
Crônicas (22053)
Discursos (3146)
Ensaios - (9196)
Erótico (13451)
Frases (45056)
Humor (18893)
Infantil (4104)
Infanto Juvenil (3148)
Letras de Música (5500)
Peça de Teatro (1328)
Poesias (138532)
Redação (2987)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2416)
Textos Jurídicos (1932)
Textos Religiosos/Sermões (5203)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cordel-->O novo busca o futuro e o velho lembra o passado (II) -- 30/07/2003 - 17:15 (José de Sousa Dantas) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
O novo busca o futuro e o velho lembra o passado (II)
José de Sousa Dantas, 27/07/2003

Tem um ditado que diz:
“Se a juventude soubesse,
se a velhice pudesse”,
mudavam todos perfis,
era outra a diretriz
o velho potenciado
e o jovem precipitado,
já querendo ser maduro.
O novo busca o futuro
e o velho lembra o passado.

O velho acredita em tudo;
de meia idade, suspeita;
o jovem diz que a receita,
sabe e se mete a peitudo,
não entende o conteúdo,
mas se acha preparado;
já o idoso é moderado,
porque não é imaturo.
O novo busca o futuro
e o velho lembra o passado.

Mocidade olha pra frente,
a velhice olha pra trás,
a vida passada faz
a velhice ser dormente,
em compensação, prudente,
enfrenta um curso pesado,
mas o mal é desejado,
e viver bem, eu procuro.
O novo busca o futuro
e o velho lembra o passado.

O jovem por não saber,
fica sonhando e procura,
a viver da aventura,
pondo as coisas a perder;
o velho sabe fazer,
trabalha mais sossegado,
o segredo é conservado,
o processo é obscuro.
O novo busca o futuro
e o velho lembra o passado.

A velhice chega quando
se começa a declarar:
“Nunca me senti ficar
tão jovem”, e vai confiando,
sabemos que está sonhando,
qual um jovem alucinado,
convencido e apaixonado,
nesse concurso eu figuro.
O novo busca o futuro
e o velho lembra o passado.

O jovem traz esperança,
o velho traz a certeza,
é próprio da natureza
conduzir a ordenança,
eu também já fui criança,
adolescente e mimado,
estou de rosto rugado,
a velhice eu inauguro.
O novo busca o futuro
e o velho lembra o passado.

Ninguém é tão velho para
não acreditar que pode,
viver mais, brincar pagode,
a afirmação é clara;
quem se esforça, Deus ampara,
vive bem aquilatado,
em todo canto é tratado,
como um bom politburo.
O novo busca o futuro
e o velho lembra o passado.

O idoso faz a ponte
entre o passado e o presente,
mantendo firme a corrente,
com os olhos no horizonte,
constitui uma grande fonte,
já está qualificado,
bem vivido e diplomado,
a mensagem, eu capturo.
O novo busca o futuro
e o velho lembra o passado.

Se ninguém pode evitar
a conclusão da velhice,
reclamar é uma tolice,
é melhor continuar
trabalhando sem parar,
vivendo entusiasmado,
sem ficar desenganado,
nem cair no desapuro.
O novo busca o futuro
e o velho lembra o passado.

O que é belo nunca morre,
pois se transforma em beleza,
mantém sempre a chama acessa,
em todo canto concorre,
quanto mais tempo decorre,
mais fica valorizado,
conhecido e respeitado,
qual o poeta Epicuro.
O novo busca o futuro
e o velho lembra o passado.

Apesar da minha idade
avançada, mas me sinto
sempre jovem, pois não minto,
digo com sinceridade,
mantenho a vitalidade,
sonho, vivo motivado,
trabalho, fico ligado,
atuando e não descuro.
O novo busca o futuro
e o velho lembra o passado.

Quem conserva a esperança,
é jovem e não se envelhece,
sonha, cria e permanece
cultivando a confiança
de si, trabalha e avança,
dinâmico, determinado,
satisfeito e deslumbrado,
mesmo que seja maduro.
O novo busca o futuro
e o velho lembra o passado.

Idoso é saudável quando
mantém a vida serena,
pergunta se vale a pena,
continua exercitando,
aprendendo e ensinando,
trabalhando equilibrado,
não fica degenerado,
nem preso nem inseguro.
O novo busca o futuro
e o velho lembra o passado.

Viva uma longa vida,
sem perder a esperança,
seja sempre uma criança,
no topete da subida,
mas no curso da descida,
não fique desanimado,
você já deu o recado,
sem desperdício e sem furo.
O novo busca o futuro
e o velho lembra o passado.

Vejo um velho caminhando
saudosista na estrada,
já no final da jornada,
pendendo e cambaleando,
enquanto um novo está dando
pulos para todo lado,
seja certo ou seja errado,
não liga para o apuro.
O novo busca o futuro
e o velho lembra o passado.

Está na fisionomia
a beleza de um homem
pois os anos não consomem
essa sua primazia,
vai mantendo a simpatia,
tranqüilo e bem humorado,
destemido e educado,
generoso, nobre e puro.
O novo busca o futuro
e o velho lembra o passado.

Um pensa no amanhã,
outro no passado pensa,
é enorme a diferença,
que existe em cada afã,
o velho descamba a chã,
já pesaroso e cansado,
o novo entusiasmado,
porém ainda inseguro.
O novo busca o futuro
e o velho lembra o passado.

Ninguém pode desviar
a certeza da velhice,
que o rio da meninice,
um dia vai desaguar,
num temeroso lugar,
que deve ser esperado,
porém só é alcançado,
pelo vetusto e maduro.
O novo busca o futuro
e o velho lembra o passado.

No sorriso da criança,
na história do idoso,
cada um é valioso,
que nunca sai da lembrança;
o novo tem esperança,
o velho tem o legado,
que se vê o resultado
na conclusão do apuro.
O novo busca o futuro
e o velho lembra o passado.

Só o velho sabe dar
bons conselhos aos amigos,
recordar fatos antigos,
pra reviver e contar,
e não é preciso evitar
as tentações de pecado,
não está mais preparado
a praticar ato impuro.
O novo busca o futuro
e o velho lembra o passado.

A velhice é uma obra
de arte, que a natureza
engendrou com realeza
e precisão de manobra;
todo o tempo a vida cobra
o que o homem tem plantado,
que será condecorado,
no presente e no venturo.
O novo busca o futuro
e o velho lembra o passado.

A velhice é definida
como sendo experiência,
certeza, maturescência,
um equilíbrio de vida,
é a fase evoluída,
para nosso aprendizado;
feliz quem tiver chegado
ao final sem desapuro.
O novo busca o futuro
e o velho lembra o passado.

A criança e o idoso
merecem nosso carinho,
um no final do caminho,
prolongado e pedregoso,
e o outro esperançoso,
apreensivo e animado,
cada um busca um tratado,
um mais claro e outro escuro.
O novo busca o futuro
e o velho lembra o passado.

Ser jovem é ter alegria,
amar a vida e sorrir,
cantar e se divertir,
cultivando o dia a dia,
em uma certa harmonia,,
satisfeito e de bom grado,
de espírito renovado,
e o organismo superpuro.
O novo busca o futuro
e o velho lembra o passado.

Quando eu era criança,
como criança pensava,
raciocinava e falava,
com fé e com esperança,
inda guardo na lembrança
esse período dourado,
que foi bem aproveitado,
recordando, eu me depuro.
O novo busca o futuro
e o velho lembra o passado.

Procure dar atenção
ao velho sábio guerreiro,
que nos serve de roteiro,
também orientação,
a idade é um bastão,
que deixa o homem formado,
quando o estágio é chegado,
nessa haste eu me penduro.
O novo busca o futuro
e o velho lembra o passado.

Todo velho já foi novo,
é sinal de resistência,
acumula experiência,
é exemplo para o povo,
a sua firmeza eu louvo,
sinto-me realizado,
pelo verso elaborado,
que divulgo e escrituro.
O novo busca o futuro
e o velho lembra o passado.


Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui