Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
29 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57771 )
Cartas ( 21192)
Contos (12691)
Cordel (10207)
Crônicas (22323)
Discursos (3143)
Ensaios - (9126)
Erótico (13427)
Frases (44584)
Humor (18708)
Infantil (3975)
Infanto Juvenil (2915)
Letras de Música (5481)
Peça de Teatro (1321)
Poesias (138419)
Redação (2956)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2413)
Textos Jurídicos (1930)
Textos Religiosos/Sermões (5043)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Infantil-->Eponina cloroquina -- 20/05/2020 - 19:54 (Brazílio) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

Era uma boa menina a Eponina. Estudiosa, zelosa com seus irmãos menores e com os afazeres da casa, cujos pais, Agenor e Liduína, operários, lutavam com grande dificuldade. Sendo a filha mais velha, nos seus onze anos de idade, o pai levou Eponina à mata, para instruí-la na cata de frutos silvestres, raízes e folhagens comestíveis,  para complementarem a dieta da família. E voltaram com os bornais carregados da generosidade da natureza. O que chamou mais a atenção de Eponina foram os cogumelos que, segundo o seu pai, poderiam ser próprios para a alimentação, ou muito tóxicos, a ponto de envenenarem o organismo. Assim, explicou-lhe ele, era necessário o conhecimento e a observação apurados para se evitarem possíveis tragédias.  Eponina ouviu com todo interesse as explicações de seu pai. Mas ficou com a pulga atrás da orelha quanto a uns cogumelos que o povo chamava popularmente de orelhas do diabo, que geralmente nasciam nas fendas de madeira apodrecida.

E à noite, depois de ouvirem notícias aterradoras no rádio, sobre a pandemia do corona-vírus, foram todos dormir. E o sono de Eponina foi tumultuado por pesadelos, em que ao jantar fora-lhe servida uma sopa esquisita, feita aparentemente de asas de morcegos...que tinham justamente o aspecto dos cogumelos estranhos...Dormiu mal, acordou temerosa, engoliu seus soluços e mal retomou o sono, já foi chamada para ir para a escola matinal, que ficava a boa distância de sua casinha.

Quando narrou o pesadelo à professora, a classe aprontou um estardalhaço, que levou Eponina ao pranto. E a ganhar o apelido de Eponina cloroquina...Mas a mestra a defendeu, passando um sermão em toda a turma e por uma semana somente Eponina pode ir ao recreio.

 

 

.

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 24Exibido 14 vezesFale com o autor