Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
82 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57096 )
Cartas ( 21170)
Contos (12597)
Cordel (10090)
Crônicas (22210)
Discursos (3136)
Ensaios - (9014)
Erótico (13401)
Frases (43744)
Humor (18481)
Infantil (3788)
Infanto Juvenil (2712)
Letras de Música (5470)
Peça de Teatro (1317)
Poesias (138305)
Redação (2926)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2401)
Textos Jurídicos (1925)
Textos Religiosos/Sermões (4888)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->NATAL DE PASSARINHO -- 25/12/2002 - 16:20 (João Ferreira) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos


NATAL DE PASSARINHO



Jan Muá

25 de dezembro de 2002







Meu Natal é este romper de aurora

Este sol e esta luz

Este chilro e este encanto

Da natureza que regurgita de vida!



Meu Natal é esta alegria vitalizada

Vivida pelos maracanãs

Que passam, vindos dos bambuzais

E se aquietam apertados em bando

No leque do buriti



Meu Natal é esta alegria profunda

De um espaço aberto

Que também é meu



É esta vida e esta teimosia

De querer ser pássaro livre

Demandando a vida como formiga

Que sabe carregar sua folhinha

Em direção à toca que é sua!



Meu Natal é o sorriso desta flor

Abrindo-se no meu caminho

Já roxinha de tanto amor!



Meu Natal é esta luz

Que me alumia e que avança

Ao largo dos entulhos do preconceito



Meu Natal é esta liberdade

De me organizar e de me sentir bem

Sem mal prévio que me condene!



É este direito cristão de estar no mundo

Direito de passarinho

De voar em espaços livres

Onde construo meu ninho!



Meu Natal é esta festa de um Menino

Que me encanta pela Mensagem

De um reino simples e liberto



Reino sem neuroses

Onde a grande voz que se ouve

É a da Natureza nossa Mãe

Que nos gera, nos alimenta e nos acolhe!



Meu Natal é este êxtase de bem-estar comigo

Onde a linguagem é vida e liberdade

Em obediência à ordem natural do mundo



Meu Natal é este presépio congraçado

De Menino, Mulher e Homem

Num cenário de mensagem silenciosa

Que se impõe para ser lida e entendida



No invólucro de uma folha perfumada de laranjeira

Guardo esta Mensagem

E celebro em paz comigo

Meu Natal

De passarinho!





Jan Muá

25 de dezembro de 2002

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 74Exibido 804 vezesFale com o autor