Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
106 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57379 )
Cartas ( 21181)
Contos (12605)
Cordel (10139)
Crônicas (22258)
Discursos (3139)
Ensaios - (9064)
Erótico (13414)
Frases (44138)
Humor (18585)
Infantil (3847)
Infanto Juvenil (2802)
Letras de Música (5476)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138546)
Redação (2942)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2408)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4944)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Artigos-->Briga de Trânsito -- 06/11/2010 - 17:00 (Marcelo de Oliveira Souza,IWA Instagram:marceloescritor) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Briga de Trânsito



Um dos problemas das grandes cidades é o fluxo populacional e de automóveis, por conseqüência o caos no trânsito.

Não é de hoje que as pessoas têm se estressado nas malhas viárias, isso pode acarretar diversos problemas, principalmente no trânsito, onde o estresse do condutor do veículo aumenta diante de tanta imprudência; o simples ato de ligar a “seta” para o lado apontado, já é motivo para o outro motorista aumentar a velocidade de seu veículo justamente na direção alertada insistentemente pelo “pisca-pisca”; a faixa de “insegurança” é onde os pedestres correm mais perigo, eles andam nas ruas como se fossem nas calçadas, que viraram estacionamento; os poucos estacionamentos não dão conta de tanto carro, assim as ruas também viraram locais “apropriados” para se estacionar, mas lá também tem “dono” o “flanelinha”, contudo os que “ganham” mais são os empresários espertalhões, compram alguns metros de terra e transformam no metro quadrado mais caro que existe, cobram dos desesperados motoristas verdadeiros absurdos, o mais absurdo ainda é que tem muita gente a fim de pagar por todo esse “serviço”.

O bom motorista, vive num “inferno” pois dividir o trânsito com pessoas sem caráter, sem amor à própria vida, tampouco amor ao próximo virou a única normativa dos loucos do volante, que desaprenderam todos os preceitos da auto-escola, pois essas instituições não conseguem ensinar monstros a ser gente, isso é caso de polícia, que já está preocupada com outras tantas difíceis tarefas.

A nossa primordial tarefa de existir e dirigir diante do caos urbano faz com que a aventura diária de sobrevier perante a violência, seja mais um motivo de poder agradecer a Deus a calma de esperar o “maluco” passar, pois o dia dele vai chegar e não é com esse tipo de gente que você quer terminar seu dia, não é?





Marcelo de Oliveira Souza

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui