Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
45 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57091 )
Cartas ( 21170)
Contos (12604)
Cordel (10090)
Crônicas (22210)
Discursos (3136)
Ensaios - (9013)
Erótico (13401)
Frases (43733)
Humor (18475)
Infantil (3786)
Infanto Juvenil (2710)
Letras de Música (5470)
Peça de Teatro (1317)
Poesias (138298)
Redação (2926)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2401)
Textos Jurídicos (1925)
Textos Religiosos/Sermões (4885)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Textos_Religiosos-->Timoneiro II -- 30/11/2019 - 14:19 (Lita Moniz) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

Timoneiro 

O barco é fraco e só aguenta 
as tempestades do mar porque 
o Timoneiro é tão sábio e forte 
que não o deixa afundar 

É um barco em frangalhos feito 
de galhos. Não é tronco escavado, 
são galhos amarrados e de tão 
cansados, já caem para os lados 

Mas o valente Timoneiro não o 
deixa afundar. O barco é seu, e 
dele vai cuidar. É Ele e só Ele 
que o pode salvar

O barco já ouve vozes do além 
a lhe dizer : - vem ! 
E só não vai porque o Timoneiro 
traçou o roteiro

O barco fraqueja, grita, esperneia, 
se desespera quando vê à frente 
um banco de areia, quando a onda 
forte o chama para a morte

O barco em frangalhos, descontrolado, 
pelo turbilhão das ondas levado 
Só não se entrega porque o Timoneiro 
sabe o que faz

Em segundos restaura-o, enche-o de 
paz. O barco refeito, estufa o peito, 
pensa que pode. Mas lá no fundo já 
sabe bem que tudo que tem do Timoneiro 
vem. 



Lita Moniz 

Timoneiro 

O barco é fraco e só aguenta 
as tempestades do mar porque 
o Timoneiro é tão sábio e forte 
que não o deixa afundar 

É um barco em frangalhos feito 
de galhos. Não é tronco escavado, 
são galhos amarrados e de tão 
cansados, já caem para os lados 

Mas o valente Timoneiro não o 
deixa afundar. O barco é seu, e 
dele vai cuidar. É Ele e só Ele 
que o pode salvar

O barco já ouve vozes do além 
a lhe dizer : - vem ! 
E só não vai porque o Timoneiro 
traçou o roteiro

O barco fraqueja, grita, esperneia, 
se desespera quando vê à frente 
um banco de areia, quando a onda 
forte o chama para a morte

O barco em frangalhos, descontrolado, 
pelo turbilhão das ondas levado 
Só não se entrega porque o Timoneiro 
sabe o que faz

Em segundos restaura-o, enche-o de 
paz. O barco refeito, estufa o peito, 
pensa que pode. Mas lá no fundo já 
sabe bem que tudo que tem do Timoneiro 
vem. 



Lita Moniz 

Timoneiro 

O barco é fraco e só aguenta 
as tempestades do mar porque 
o Timoneiro é tão sábio e forte 
que não o deixa afundar 

É um barco em frangalhos feito 
de galhos. Não é tronco escavado, 
são galhos amarrados e de tão 
cansados, já caem para os lados 

Mas o valente Timoneiro não o 
deixa afundar. O barco é seu, e 
dele vai cuidar. É Ele e só Ele 
que o pode salvar

O barco já ouve vozes do além 
a lhe dizer : - vem ! 
E só não vai porque o Timoneiro 

 

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 6Exibido 11 vezesFale com o autor