Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
83 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57395 )
Cartas ( 21182)
Contos (12616)
Cordel (10141)
Crônicas (22260)
Discursos (3139)
Ensaios - (9065)
Erótico (13414)
Frases (44153)
Humor (18595)
Infantil (3853)
Infanto Juvenil (2804)
Letras de Música (5476)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138563)
Redação (2942)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2409)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4945)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Artigos-->Favela -- 27/01/2010 - 23:19 (Marcelo de Oliveira Souza,IWA Instagram:marceloescritor) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Favela



Depois da segunda guerra mundial o governo resolveu fazer uma doação de terras justamente nos morros, além de ser uma falta de visão social é uma falta de visão política a longo prazo.

As favelas se popularizaram nas capitais, nas cidades grandes do interior e hoje é muito difícil dizer onde não existem favelas nesse imenso Brasil.

No inicio esse tipo de habitação era caracterizada por existir em morros, os moradores desse local eram predominantemente imigrantes e moradores de ruas que se aventuraram a invadir instalando-se a todo custo; depois esse tipo de local foi se transformando. Com a dificuldade de moradia as florestas foram cedendo lugar a invasões, empreendimentos imobiliários, obras viárias e outros segmentos.

A classe dominante brasileira por um bom tempo fez “vistas grossas” para essa problemática social, contudo a partir do crescimento desordenado elas foram crescendo, se multiplicando, tomando todos os espaços e hoje quem não mora num desses locais, tem a companhia dela como vizinha.

A falta de oportunidade que é uma constante nesse meio, não foi motivo para que muitos cidadãos habitantes do local conseguissem optar por um meio honesto, tendo como maior norteador o esporte, pois sem esporte, cultura e educação não podemos produzir “craques” em nenhuma profissão, passando a excluí-los, transformando-os em marginais vendedores de “crack”.

Os segmentos governo por muito tempo insistem em esquecer essas pessoas, mesmo com toda essa violência, parecem que não lembram que as olimpíadas vêm aí, não existe nenhum planejamento prévio para os nossos atletas e quando percebermos, os Jogos Olímpicos estarão aí; quando eles começarem, as quadras e ginásios poderão até estar cheios de visitantes e torcedores brasileiros, bem com atletas mal-formados; na rua não haverá violência, pois o exército estará patrulhando, mas os vendedores de “crack” estarão lá nos seus redutos com drogas e todo tipo de arsenal, torcendo não somente para os poucos herois ganharem medalhas, mas para que toda aquela movimentação termine e tudo volte a ser como antes, onde as favelas viraram reinado, as quais os reis reinam absolutos, mesmo que momentaneamente, porque ali existe sim revezamento, não de nadadores ou corredores, mas de donos da “boca de fumo”.



Marcelo de Oliveira Souza

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui