Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
101 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57755 )
Cartas ( 21192)
Contos (12694)
Cordel (10206)
Crônicas (22323)
Discursos (3143)
Ensaios - (9126)
Erótico (13426)
Frases (44547)
Humor (18704)
Infantil (3971)
Infanto Juvenil (2910)
Letras de Música (5481)
Peça de Teatro (1321)
Poesias (138405)
Redação (2955)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2413)
Textos Jurídicos (1930)
Textos Religiosos/Sermões (5038)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cordel-->ALMIR RECORDOU SEU LUGAR -- 07/05/2003 - 11:49 (José de Sousa Dantas) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
ALMIR RECORDOU SEU LUGAR
José de Sousa Dantas, em 07/05/2003

Poeta ALMIR ALVES FILHO,
mestre autêntico, verdadeiro,
competente conselheiro,
patenteado no brilho,
inspirado no estribilho,
sabe como versejar;
a vida saborear,
os encantos desse mundo,
com seu trabalho fecundo,
sublime, espetacular.

HISTÓRIA DO MEU LUGAR,
leu, RECORDOU O SERTÃO,
conheceu a região,
a cultura popular,
o roçado e o pomar,
o açude, a ribanceira,
o riacho, a cachoeira,
a vazante e o baixio,
com a paisagem do rio,
a estrada, a capoeira,....

As burundangas da feira,
os versos de cantador,
a luta de agricultor,
a criação, miunceira,
curral de vaca leiteira,
a fazenda, a plantação,
a fauna, a vegetação,
o engenho, aviamento,
o rosário e o casamento,.....
as festas de apartação.

É o SÍTIO DE SÃO JOÃO,
o lugar onde nasci,
que no livro introduzi
a mais doce inspiração,
fazendo correlação
com o mundo encantador,
sob a luz do CRIADOR,
descrevi a sertania,
retratando em poesia
a riqueza interior.

Quem nasceu no interior
do NORDESTE BRASILEIRO,
conhece o campo sequeiro,
o vaqueiro aboiador,
a barra no sol se pôr,
a quentura do verão,
as cantigas do carão,
as chuvadas no inverno,
a planta mudar de terno,....
a safra da produção.

ALMIR tem recordação
do lugar onde nasceu,
na infância recebeu
sua primeira lição;
somos do mesmo sertão,
a origem é semelhante,
não esqueço um só instante,
essa área nordestina,
que é pura e genuína,
atraente e apaixonante.

A gente que está distante
fica sentindo saudade,
daquela propriedade,
natural, exuberante;
foi no tempo de infante,
de beleza sem igual,
uma vida especial,
altaneira e proveitosa,
importante e virtuosa,
magnífica e colossal.

Eu no sertão de POMBAL
e ALMIR na sua ambiência,
PIAUÍ, sua querência –
seu estado natural;
cada um foi triunfal,
preservando a semelhança,
desde o tempo de criança,
palmilhando a trajetória,
constituindo a HISTÓRIA,
que nunca sai da lembrança.

ALMIR mantém a pujança,
trabalha com harmonia,
lembra a sua sertania,
descreve com segurança;
conquistou a confiança
dos poetas condoreiros,
dos leitores brasileiros,
e também doutras nações,
pelas suas produções,
com destaque entre os primeiros.

É dos nossos companheiros,
que desenvolve o talento,
mostrando conhecimento,
com seus versos verdadeiros,
um dos grandes mensageiros,
incansável baluarte,
que cumprindo a sua parte,
elabora POESIA,
trazendo sabedoria,
que engrandece a nossa arte.

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 68Exibido 542 vezesFale com o autor