Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
72 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57118 )
Cartas ( 21170)
Contos (12604)
Cordel (10093)
Crônicas (22216)
Discursos (3137)
Ensaios - (9018)
Erótico (13404)
Frases (43787)
Humor (18496)
Infantil (3795)
Infanto Juvenil (2722)
Letras de Música (5470)
Peça de Teatro (1317)
Poesias (138320)
Redação (2927)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2402)
Textos Jurídicos (1925)
Textos Religiosos/Sermões (4899)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Artigos-->FINADOS... -- 29/10/2009 - 21:58 (Marcelo de Oliveira Souza,IWA Instagram:marceloescritor) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Todos ficam consternados diante da inevitabilidade da morte, que é altamente democrática dando oportunidades a ricos e pobres, bons e ruins, animais, vegetais e tudo que possa ser ceifado pela dona da foice.

O dia de Finados foi criado para que as pessoas possam lembrar sempre que essa temporada que passamos nesse planeta tem o seu fim, onde todos nós temos as nossas missões terrenas, que ao completarmos, o criador nos chama para o lado dele, fazendo pois, o exercício da nossa fé.

Para isso é reservado um lugar onde os viajantes possam fazer o seu descanso eterno, o cemitério, um caixão e o seu pedaço de terra a sete palmos incrustado no chão.

Já nesses elementos a democracia mortal deixa de se exercida, quem tem mais poder escolhe o cemitério cheios de bosques, áreas verdes e fontes luminosas, já os desafortunados, perecem em hospitais públicos e para manter a rotina desembocam em cemitérios públicos, onde inexiste segurança, limpeza e o aroma característico da morte habita os quatro cantos acompanhados de formigas, baratas e uma infinidade de insetos.

No dia de Finados recebem até um pouco de maquiagem, contudo a morbidez do pós-vida assusta a todos, por isso temos que aproveitar a vida o máximo possível, como todos estão cansados de saber, pois a “foice” quando fizer o corte não deixará nenhum rastro, somente lágrimas.





Marcelo de Oliveira Souza





Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui