Usina de Letras
Usina de Letras
20 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 61958 )

Cartas ( 21333)

Contos (13252)

Cordel (10444)

Cronicas (22531)

Discursos (3235)

Ensaios - (10261)

Erótico (13560)

Frases (50370)

Humor (19994)

Infantil (5390)

Infanto Juvenil (4724)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1375)

Poesias (140716)

Redação (3290)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1956)

Textos Religiosos/Sermões (6141)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->CORAÇÃO ALEIJADO -- 14/10/2002 - 17:48 (ALEXANDRE FAGUNDES) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
CORAÇÃO ALEIJADO



Perdi Maria e a fome

Perdi o sono e o livro

Perdi a carteira e o emprego

Perdi o leme e o mapa

Perdi o jeito com o mundo

Perdi o endereço da vida



E esta vida não me dá trégua

Me faz perder o ônibus e as chaves

Me faz perder a hora e as senhas

Faz-me esquecer endereços e telefones

Me faz de bobo, de louco, de bêbado

E, se me faço de morto, não a engano



Sozinho no sereno, perdi a saúde

Devendo sem pagar, perdi a vergonha

Temendo até as sombras, perdi a coragem

Correndo sem rumo, perdi o fôlego

Perdi quase tudo de quase nada que eu tinha

Dei novo sentido à miséria



Então, sigo leve, sem carga

Então, sigo quieto, sem causa

Então, sigo doente, sem alma

Sigo cego, mudo, surdo, mancando

Meu coração segue aleijado

Sigo o que já não enxergo

_______________

LEIA TAMBÉM AS POESIAS "ROTA DE FUGA", "O AUTOCIDA" E "DEVOÇÃO", DO AUTOR ALEXANDRE FAGUNDES

Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui