Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
82 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57385 )
Cartas ( 21182)
Contos (12609)
Cordel (10139)
Crônicas (22258)
Discursos (3139)
Ensaios - (9064)
Erótico (13414)
Frases (44149)
Humor (18586)
Infantil (3848)
Infanto Juvenil (2803)
Letras de Música (5476)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138552)
Redação (2942)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2408)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4944)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Artigos-->A Cidade que virou lama. -- 08/05/2009 - 20:03 (Marcelo de Oliveira Souza,IWA Instagram:marceloescritor) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
A Cidade que virou lama.





Chove incessantemente em Salvador, muitos moradores estão preocupados com as residências que estão à beira do precipício, prontas para ir abaixo.

A nossa cidade cresceu desordenadamente, atraindo muitas pessoas de todos os lugares, principalmente do interior do Estado, essas pessoas procuram onde morar e como não encontram, invadem qualquer lugar perto do centro principalmente. Depois que as partes centrais já foram ocupadas, cada lugar verde tornou-se projeto para construção lícita ou ilícita

Com isso o desmatamento cresceu assustadoramente, as favelas foram se multiplicando, o povo cavando buracos nas encostas mais do que tatu, derrubando árvores, invadindo terrenos baldios e assim formou-se o principal contingente de moradores de Salvador.

O poder público ao invés de ajudar quem está à procura de uma moradia, auxiliando-os em suas necessidades, fez “vistas grossas” para isso.

Assim entra governo e sai governo, entra prefeito e sai prefeito, e todo esse drama se perpetua, onde os seus governantes dão mais importância para as festas populares do que o bem estar do povo que o elegeu; por outro lado, a população em sua maioria, apóia esse tipo de gestão, somente esperando o próximo “babado” para o carnaval ou a banda para o são João.

E tudo vai se ajeitando, até quando não tem mais jeito, a cidade passa então a não aguentar tanto desmando, “os banhos” de asfalto vão embora, as encostas se desmoronam junto com o sonho de quem mora nesse local de risco, a crateras aparecem na pistas de rolamento, imitando uma perfeita paisagem lunar, restando somente ligar para algum órgão governamental, e sair corrido com os pertences que puder carregar.

Nesse mar de lama que tornou a nossa política, temos que tentar resgatar alguma coerência, deixando de votar por “momento” ou promessas vis, temos que aprender a lição, para da próxima vez elegermos alguém que não nos coloque na lama.





Marcelo de Oliveira Souza

marceloosouzasom@hotmail.com

Salvador Bahia Brasil



Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui