Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
49 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57762 )
Cartas ( 21192)
Contos (12699)
Cordel (10207)
Crônicas (22326)
Discursos (3143)
Ensaios - (9127)
Erótico (13426)
Frases (44560)
Humor (18707)
Infantil (3973)
Infanto Juvenil (2911)
Letras de Música (5481)
Peça de Teatro (1321)
Poesias (138413)
Redação (2955)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2413)
Textos Jurídicos (1930)
Textos Religiosos/Sermões (5040)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cordel-->À POETISA MAÍSA -- 03/04/2003 - 14:36 (José de Sousa Dantas) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
À Poetisa MAÍSA
José de Sousa Dantas, em 03/04/2003

O seu nome já tem rima,
conferindo com a arte,
mostrando sabedoria,
com valor em toda parte,
continue assim brilhando,
suas idéias não descarte.

As suas frases têm arte,
integrando a antologia,
servindo para consulta
dos amantes da poesia,
e de todas as pessoas
que buscam sabedoria.

É motivo de alegria,
de grande felicidade,
ter lido esse seu poema,
revelando uma verdade:
“PRA TE ACHAR... ME PERDI”,
mas matei minha saudade.

O seu nome é sumidade,
destaquei no meu cordel,
chamado "USINA em galope”,
que se encontra no painel,
contendo vários autores,
no site "sabor de mel".

ACRÓSTICO

Musa, meiga, inspiradora,
Atraente e elegante,
Ímpar, pura, encantadora,
Sensata, firme, importante,
Aplicada professora.

Capaz e conhecedora,
Respeitável, competente,
Instruída e esmerada,
Sábia, deusa, reverente,
Talentosa e criativa,
Ilustre, bela e formosa,
Nobre, simples, preciosa,
Altaneira e inteligente.

As palavras fluem dentro de mim;
eu as respiro e elas me inspiram. MAÍSA.




Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 68Exibido 782 vezesFale com o autor