Usina de Letras
Usina de Letras
21 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 62153 )

Cartas ( 21334)

Contos (13260)

Cordel (10448)

Cronicas (22529)

Discursos (3238)

Ensaios - (10339)

Erótico (13567)

Frases (50555)

Humor (20023)

Infantil (5418)

Infanto Juvenil (4750)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1376)

Poesias (140788)

Redação (3301)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1958)

Textos Religiosos/Sermões (6177)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->SOLAMIENTE SÓ -- 04/07/2000 - 01:56 (Anita de Souza Coutinho) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
SOLAMIENTE SÓ



Há um sopro de poesia rumando por novos mares

Pedaços difusos de mim, um corpo ausente de mundo

Um tanto longo e profundo

Puro desejo sem fim.;



Sentir os declives do prazer

De forma ingênua, vulgar e voraz

Viver o pior de se viver

Por meios loucos que só o existir nos traz

Há um mundo que vibra o som do poeta

E só o sol não vem compreender.;

Cabeças numa bandeja atormenta

Como um avalanche de emoções

Enquanto não há boa escolha para duas opções

Somente retalhos, pulsos rasgados ou duas canções.;



Cabelos emaranhados na cama do destino

Amarras sem pressa ou prisioneiro...

Um grito ecoou na estrada

E minha mão protegia uma borboleta de asas quebradas

...e sonhava um pouco calada...

As madrugadas não se silenciavam

Pedi desculpas por vezes despudoradas

A percussão não passava o ritmo da única canção.;

Sorrisos são goles de bebidas geladas

Impregnando rimas no meu coração...



Há um jeito de olhar aprisionando o meu ser

Talvez eu voe

Talvez eu faça voar...



ANITA DE S. C.

São Paulo, 30 de Janeiro de 1998. Sexta-feira

Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui