Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
159 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59136 )

Cartas ( 21236)

Contos (13102)

Cordel (10292)

Crônicas (22196)

Discursos (3164)

Ensaios - (9439)

Erótico (13481)

Frases (46519)

Humor (19281)

Infantil (4461)

Infanto Juvenil (3729)

Letras de Música (5479)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138237)

Redação (3054)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5525)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Artigos-->Enfermidades, como enfrentá-las? -- 02/11/2008 - 17:50 (Elias Torres) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
.

Enfermidades, como enfrentá-las?

Texto Elias Torres



Nós, seres humanos mortais, não estamos isentos de pegar uma enfermidade seja ela de ordem física ou emocional. Até mesmo os profissionais da saúde são vitimas de uma doença de qualquer origem.

Podemos afirmar que até os médicos não são imunes às doenças. Se afirmássemos, exemplo, que um psicólogo não poderia sofrer uma depressão, então, um ortopedista não sofreria uma fratura ou, que um cardiologista nunca iria sofrer um ataque cardíaco.

Qual o ser humano normal que gosta de adquirir uma doença? Certamente, ninguém! Muitas moléstias penetram em nosso corpo e nem sabemos como a pegamos e, para muitas delas, nem a medicina têm explicações.

Existem doenças que são provocadas por nós mesmos, pois somos os responsáveis por adquiri-las. Exemplo? Sabe-se que o cigarro faz mal a saúde, e mesmo assim pessoas insisti em aprender a fumar, expondo-se a tornarem-se futuros doentes pelo tabagismo. O mesmo acontece com o alcoolismo.

Muitos ficam doentes devido à teimosia e a falta de prevenção. Um jovem cuidadoso com sua saúde hoje será um idoso alegre e forte amanhã. Tem muitas pessoas prepósteras que não se esforçam para mudar seu modo errôneo de viver.

Infelizmente, tem pessoas que não acreditam e ainda que possa parecer estranho, há males físicos e psicológicos que têm origem espiritual. Nesses casos há uma atuação maligna, pois não aparece em exames e nem os remédios os aliviam ou curam. Para fatos assim somente com jejum e oração, pois a casta de demônios só saem agindo desta forma e com o poder de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Temos que entender que acordar de manhã e ir trabalhar não é exercício e nem tão pouco praticar qualquer outro tipo de esporte. Já ouvi profissionais dessa área dizer isso, pois trabalhando, ou estando, em atividade esportiva podemos nos machucar.

Fazer exercícios adequados só traz benefícios ao nosso corpo. Com isso não quero dizer que temos que parar com o esporte, muito pelo contrário a pratica deles nos traz o bem estar a nossa vida.

Quem não cuida da saúde no presente, corre o risco de ser um doente futuro. Queira ou não, a enfermidade pode nos humilhar e é para enfrentar esse desafio que temos que estar preparado, psicologicamente, quando ela chegar. Quando estamos sendo humilhados por ela, temos que mudar a nossa forma de pensar e dizer pra nós mesmos: essa enfermidade está me lapidando e está me fazendo refletir...

Não podemos ficar desanimados com o surgimento dela, pois já ficou comprovado que quanto mais nos entregamos às doenças mais elas nos levam pro buraco. Temos é que viver sorrindo de uma maneira saudável, nos relacionando com as pessoas, pois o isolamento é um outro fator que prejudica muito e pode matar mais rapidamente.

Temos que seguir as orientações de nosso médico e orar a Deus para que Ele venha a dar mais sabedoria à esses profissionais da saúde. Quando o remédio estiver penetrando em nossa corrente sanguínea que ele venha a destruir todos os vírus, bactérias que estão nos prejudicando e também para que o Senhor fortaleça nossos ombros para que possamos carregar mais esse fardo, com sabedoria e espírito cristão.



Quando a enfermidade bater em nossa porta não é hora para se revoltar, ficar triste, desesperar e nem mesmo para “jogar a toalha”, é hora de pensar e agir de forma diferente. Creio que muitas das vezes a doença chega nos atinge para podermos parar um pouquinho e começar a refletir sobre a nossa vida e é isso que temos que fazer, pois a tristeza já matou a muitos. A doença pode nos aproximar de Deus e nunca poderemos obrigá-lo a nos curar, pois Ele sabe o que é melhor para nós.



A doença tem o seu lado bom, porque só assim começamos a descobrir quem são nossos verdadeiros amigos, pois muitos se distanciam de nós nessas horas. Ela nos ensina a ser mais humilde e senciente com as pessoas que também estão sofrendo, podendo unir a família que estava afastada e desacreditada. Não devemos achar que toda doença é coisa do Diabo, pois ele não ta com essa bola toda, não.



Grandes homens de Deus tiveram problemas de saúde, e nem por isso deixou de servir ao Senhor, sendo que alguns tiveram fortíssimas crises de depressão,como o Apostolo Paulo, que orava e curava as pessoas em nome de Jesus. Embora a sua própria doença não conseguisse curar.



Ele pediu a Deus para curá-lo por três vezes e a resposta do Senhor para ele foi: Só minha graça te basta! O senhor Jesus também experimentou um momento de depressão. Eu creio que em tudo isso tem um grande ensinamento para todos nós, pois doença não é sinal de desespero, nem de morte, mas para que façamos uma reflexão quando ela aparecer. À vista disso muitos abandonam a própria fé em Deus.



Eu confesso que sou um pouco medroso em relação ao tratamento, mas vamos fazer o quê? Temos é que nos entregar para os médicos para que eles façam a parte deles, pois acredito que o Senhor usa a medicina como um projeto Dele para trazer nosso alivio e a cura através dos médicos.



Conversando com uma amiga ela me disse que os homens são medrosos para se tratar e ela não está errada. Muitos por causa do machismo morrem, mas não vão nem fazer o exame da próstata, por exemplo, pois para fazer esse exame tem que ser muito homem, como diz um amigo meu. “Bunda mole” não o faz, somente os homens de verdade o fazem.



A enfermidade nos mostra a realidade de nós mesma, a nossa fragilidade, a nossa dependência de Deus e das pessoas, pois todo o ser humano vai ter que passar por um médico, um dia, e quando isso acontecer é hora de começar a refletir e cuidar da saúde, porque é o maior sinal da responsabilidade humana.





Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui