Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
223 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 58162 )
Cartas ( 21211)
Contos (12859)
Cordel (10239)
Crônicas (22095)
Discursos (3147)
Ensaios - (9230)
Erótico (13453)
Frases (45309)
Humor (18940)
Infantil (4163)
Infanto Juvenil (3236)
Letras de Música (5506)
Peça de Teatro (1328)
Poesias (138722)
Redação (2997)
Roteiro de Filme ou Novela (1058)
Teses / Monologos (2418)
Textos Jurídicos (1934)
Textos Religiosos/Sermões (5254)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Artigos-->TECNOLOGIA SOCIAL - CULTIVO VERTICAL DE HORTALIÇAS -- 28/02/2008 - 13:42 (Orlando Batista dos Santos) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
É possível produzir hortaliças a partir de pequenos espaços pelo método vertical, onde se pode alcançar produtividade maior que o sistema convencional em solo, com reais possibilidades de trabalho e renda, mesmo para quem mora na cidade e não possua conhecimentos especializados.

O mais importante de tudo é a existência de áreas ensolaradas, não importando o tamanho, e pode ser no quintal, na chácara, em áreas de solo degradado, em cima de lajes ou em lugares cimentados, com a vantagem de se obter um produto limpo, ecologicamente correto, melhoria nutricional e obtenção de renda.

O ESPAÇO IDEAL

Qualquer espaço é ideal para o cultivo de hortaliças pelo método vertical. Basta que o local receba a luz do sol na maior parte do dia. Mas, quanto maior a luminosidade, melhor. Em dez metros lineares com três prateleiras de um metro de largura, pode-se cultivar até 480 plantas, ou seja, 48 plantas por metro linear. O quanto produzir então, vai depender do tamanho da área disponível, que pode ser em áreas cobertas por grama, calçadas ou cimentadas e até mesmo em cima de lajes, e vai depender também da capacidade de empreender e de administrar o empreendimento de cada pessoa

AS PRATELEIRAS

As prateleiras que vão servir de suportes para o cultivo devem ter no máximo um metro de largura. Podem ser de madeira, construídas com estacas ou caibros fincados ao chão, ripas de sustentação pelas laterais e para sustentar os tablados, que podem ser compostos por tábuas de 30 cm cada.

Cada tablado da prateleira deve ficar distante um do outro pelo menos 70 cm de altura, sendo a primeira a 20cm do solo, a fim de facilitar a ventilação e a entrada de luz, não sendo recomendável mais de três tablados por prateleira, totalizando 1m e 60cm de altura, tanto pela dificuldade de operação, quanto pela sombra que uma prateleira alta projeta nas prateleiras mais próximas.

COMPRIMENTO - Quanto ao seu comprimento, depende da extensão da área escolhida e da opção de melhor aproveitamento da área ou das condições de luminosidade, podendo ter, portanto, comprimento definido pelo produtor.

DISTÂNCIA ENTRE AS PRATELEIRAS – Se a distância entre os tablados das prateleiras devem ser de 70cm de altura, a distância entre uma e outra deve ser de 2m, podendo ser maior, dependendo da disponibilidade da área ocupada. Além de formar um corredor para facilitar as operações, essa distância serve para evitar o sombreamento excessivo de uma prateleira sobre a paralela.

POSIÇÃO DAS PRATELEIRAS – É muito importante que as prateleiras sejam instaladas em sentido Norte-Sul, ou algo bem próximo disso, para que o sol da manhã e da tarde seja bem aproveitado pelas plantas atravessando as prateleiras, enquanto que o sol do meio do dia, ou seja, das horas mais quentes do dia, tem os tablados das prateleiras como anteparo. Daí a importância de as fileiras de prateleiras não ficarem muito próximas umas das outras.

O SUBSTRATO

O substrato utilizado na produção de hortaliças no sistema vertical não foge muito do padrão utilizado no cultivo tradicional em solo. A diferença é que esse substrato deve ser criteriosamente preparado para ser colocado nos vasos onde serão transplantadas as mudas, obtido através do processo chamado de compostagem.

PRODUÇÃO DO COMPOSTO ORGÂNICO - Existem muitas maneiras de se fazer o composto orgânico, também chamado de biofertilizante. Para o nosso caso, talvez o melhor sistema de produzir compostos orgânicos seja o da esterqueira: faz-se um cercado com tijolo ou madeira no tamanho necessário (2X2X1, por exemplo) e vá colocando todo o material a ser decomposto. A cada deposição de material deve-se cobri-lo com um pouco de terra, para favorecer a decomposição do material e evitar o ajuntamento de mosquitos.

Alguns exemplos do que pode ser colocado na esterqueira: tudo de origem vegetal como restos da cozinha: cascas e bagaços de frutas, de batatas, de mandioca, folhas de verduras descartadas, pó de café depois de coado, sobras de arroz e de feijão, tendo o cuidado de espalhar muito bem e cobrir com uma camada de terra.

Material de origem animal não é recomendado, pois provoca mau cheiro e a possibilidade de contaminação é muito grande. No entanto, as cascas de ovos podem e devem ser colocadas na esterqueira, por não apresentar riscos e ainda por cima são excelentes fontes de cálcio, nutriente muito importante para as plantas.

Naturalmente no local haverá o ajuntamento de minhocas que auxiliarão no processo de decomposição da matéria orgânica. Mas, se for possível, coloque algumas minhocas do tipo Califórnia, que são muito eficientes para realizar esse trabalho,

Aproveite para depositar ali também os restos de materiais retirados das prateleiras.

Para aumentar a produção do adubo orgânico, coloque na esterqueira folhas e galhos de vegetais picados, como capins, arbustos e árvores. Mas para isso deve-se adquirir um moinho ou picador de vegetais, equipamentos de preços não muito elevados

Preparar um bom substrato é muito importante, pois é a garantia de que será disponibilizado para as plantas cultivadas os nutrientes de que precisam. Tais nutrientes são classificados em macronutrientes e micronutrientes. Os macronutrientes são: nitrogênio (N), fósforo (P), potássio (K), cálcio (Ca), magnésio (Mg) enxofre (S). Os micronutrientes são: boro (B), cloro (Cl), cobre (Cu), ferro (Fe), manganês (Mn), molibdênio (Mo) e zinco (Zn). Completando esse ”cardápio” temos ainda o carbono (C), o hidrogênio (H) e o oxigênio (O), cujas participações ocorrem através do ar, da luz e do fenômeno denominado fotossíntese.

SEMEADURA

Para quem não domina a técnica da semeadura é recomendável que obtenha as mudas de um produtor de confiança. Encomende as espécies de plantas ou suas variedades desde que tenha a garantia de que as mudas sejam saudáveis.

TRANSPLANTE

Providencie vasos de plástico ou de cerâmica próprio para cultivo de plantas, com 15cm de altura e 20cm de diâmetro. São medidas adequadas para o cultivo de alface, distribuindo-os à razão de 16 vasos por metro de tablado na prateleira. Devido a quantidade de raízes desenvolvidas por essa planta, um vaso de proporções menores que as indicadas poderá trazer dificuldades para o cultivo das plantas.

AS REGAS

Regue as plantas duas vezes ao dia, pela manhã e ao entardecer. Forneça água apenas na quantidade suficiente para molhar o substrato sem encharcá-lo e sem derramamento do excesso. A operação deve ser feita uma a uma com uma mangueirinha que saia direto do reservatório de água, mas com pequena vazão, ou outro recipiente, como caneca. O mais importante é que a dosagem de água fornecida às plantas deve ser controlada. Para melhor controle da irrigação, evite o uso de regadores, já que as prateleiras devem permanecer o mais secas possível, exceto, é claro, em dias de chuvas.

O QUANTO PRODUZIR: Pelo sistema de cultivo vertical em prateleiras, cada pessoa consegue conduzir até 4800 plantas de alface durante o mês, ou seja, trabalhar com 100 metros lieares de prateleiras montadas em uma área de 300 metros quadrados. Logo, para cultivar 9600 plantas são necessárias duas pessoas e área aproximada de 600 metros quadrados, e assim sucessivamente.

VANTAGENS DO MÉTODO

São muitas as vantagens do cultivo vertical de hortaliças. Em primeiro lugar fica a produtividade, que pode ser maior que o método convencional em solo. Depois vem a higiene, já que o cultivo é conduzido em prateleiras suspensas evitando o contato com a sujeira do solo e as plantas são protegidas de ataques de lesmas e de caramujos. O fato de se trabalhar com substratos elaborados com matéria orgânica, poupa-se o solo de inconvenientes, a exemplo da erosão e dá à produção a característica de “natural” ou “orgânica”, o que contribui para a valorização do produto. Um fator também muito importante é a economia de água. Por ser utilizada de modo racional, evita-se o desperdício como quando se utiliza de aspersão ou regadores.

PRODUÇÃO ORGÂNICA

Para um produto ser reconhecido oficialmente com “orgânico” é preciso que ele seja certificado por uma entidade credenciada, providência que acrescenta reconhecimento e valor agregado ao produto. Se o produtor já domina a técnica e quer expandir a produção, significa que está na hora de certificar seu produto. A certificação implica em manter registros das operações, disponibilizando-as para fins de auditorias e fiscalizações. A legislação brasileira sobre produtos orgânicos são a Lei 10831 de 23 de dezembro de 2003 e o decreto 6323 de 27 de dezembro de 2007.



PERGUNTAS E RESPOSTAS

1- Posso utilizar outros tipos de recipientes e arranjos nas prateleiras ao invés dos citados vasos?

R: Pode. O mais importante é que os recipientes tenham uma área razoável para o bom desenvolvimento das raízes.

2- Devo usar apenas tábuas de 30cm de largura como plataforma nas prateleiras?

R: Qualquer tipo de material pode ser utilizado, desde que garanta o bom desenvolvimento das plantas.

3- Pode-se usar a densidade de 25 plantas por metro quadrado?

R: Pode, em dias longos e bem ensolarados. Em períodos de dias curtos, como no inverno do Sul e Sudeste do Brasil, deve-se reduzir a densidade para 16 plantas por metro quadrado.

4- É possível cultivar outras espécies de hortaliças que não só a alface?

R: Sim, mas é preciso sempre considerar o aspecto da planta, como seu ciclo de vida, seu tamanho, seu sistema radicular, para então adaptar a forma do arranjo na prateleira e também dos recipientes para os substratos.

5- Posso adquirir o substrato junto a fornecedores especializados?

R: Sim, desde que se tenha a garantia da qualidade nutricional do substrato, e seu custo não inviabilize economicamente a produção.

6- Posso divulgar o método para minha comunidade e para meus amigos?

R: Pode, já que o objetivo deste artigo é a difusão de conhecimento e espero que muitos possam ser beneficiados com sua aplicação.

7- Se for preciso o autor pode dar mais informações sobre o método?

R: Sim, por e-mail, através do link "fale com o autor".

================================

Acesse:http://caipiraliteral.com.br

Meus blogs:

http://culturacaipira.uniblog.com.br

http://orlandobatista.uniblog.com.br

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui