Usina de Letras
Usina de Letras
16 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 61949 )

Cartas ( 21333)

Contos (13252)

Cordel (10444)

Cronicas (22529)

Discursos (3235)

Ensaios - (10255)

Erótico (13559)

Frases (50353)

Humor (19993)

Infantil (5388)

Infanto Juvenil (4724)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1375)

Poesias (140710)

Redação (3290)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1956)

Textos Religiosos/Sermões (6141)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
cronicas-->Depois -- 14/05/2000 - 18:41 (Amélia Alves) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos


Daqui a algum tempo,já não haverá resquícios de coisa alguma,embora as paredes teimem sempre em preservar mudas histórias que se passam atrás de portas trancadas.

Em tranquilos biombos da casa dormente e vazia não haverá mais quem mate as poeiras e marcas de fatos acontecidos,de frases perdidas em clandestinos encontros de que ninguém desconfia. E cálidos sorrisos de sol esquentarão mortas presenças de nada,enquanto um silêncio antigo contará lendas de sono e redenção.

Pelas frestas das janelas,penetrarão sons de vida lá de fora e, aos poucos, casa inteira irá se acostumando à solidão de estar assim desencontrada de si mesma, de seus habitantes antigos,das gerações que lhe dobraram as tábuas do assoalho em loucas correrias e alvoroço constante,dos tempos de avós,tios, sobrinhos, apadrinhados e arroz doce comido de tarde com café de rapadura e brincadeiras de pique pelo quintal.

Decerto,irão ficar lembranças de mortes, herdeiros e família separada por questões de somenos importància, medo de assombrações, espectros de árvores que em noites tão longas abrigavam serenatas e namoros escondidos.

Não mais se ouvirão maçanetas girando, dizendo de chegadas diversas,de filhos pródigos em busca de apoio,de mães carinhosas e mãos se doando. Cada espera será ameaça de gargalhadas repentinas sugeridas por escuridão e silêncio.

Pelo jardim,alguém descobrirá somente lições de abandono,como se tentassem reconstituir, entre escombros,as bases de um relacionamento há muito arruinado.E alguma torneira esquecida irá então pingar intermitentemente,chorando perdas e danos.


Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui