Usina de Letras
Usina de Letras
16 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 61962 )

Cartas ( 21333)

Contos (13252)

Cordel (10444)

Cronicas (22531)

Discursos (3236)

Ensaios - (10264)

Erótico (13560)

Frases (50379)

Humor (19998)

Infantil (5391)

Infanto Juvenil (4725)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1375)

Poesias (140716)

Redação (3290)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1956)

Textos Religiosos/Sermões (6141)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Artigos-->ANOTAÇÕES PARA UM FUTURO ESTUDO SOBRE A OBRA DE UILCON -- 21/11/2001 - 03:06 (ARICY CURVELLO) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
ANOTAÇÕES PARA UM FUTURO



ESTUDO SOBRE A OBRA DE UILCON PEREIRA



(ou Idéias para serem furtadas pelos habitantes de Bizâncio )













( I )



A CRISE DA NARRATIVA :



Talvez apenas alguns raros escritores brasileiros de ficção tenham se preparado intelec-

tualmente como Uilcon Pereira . Um dos aspectos mais notáveis de sua obra está em como ele “narra” a crise no seio da própria literatura contemporânea . Ele se valeu de uma série de pares de opostos , por exemplo, para recriar o característico sentimento de mal estar do nosso tempo e a falência de dogmas religiosos/ políticos/ científicos . Contrapondo o consciente e o inconsciente, a vigília e o delírio, a realidade e a fantasia, frisou a duplici –

dade / triplicidade de qualquer ser humano, fenômeno, conceitos e interpretações , donde

o seu constante emprego da figura do travesti, do labirinto e de infindáveis jogos de lingua-

gem . Eis a fragmentação da vida, do homem e da escrita .



Como poucos não ignorava o impacto da obra de Braudel sobre a historiografia e sobre a ficção, com o fim da História romanceada e do enredo personalista , a morte anunciada do acontecimento . Da mesma forma, filósofo profissional, não desconhecia Wittgenstein , a filosofia analista ou filosofia da linguagem .



Um dos mais claros sinais da genialidade de Uilcon está em como contrapôs a heteronímia

de Fernando Pessoa à homonímia de sua criação, elegendo um nome/ personagem central em torno de quem se estabelece uma espantosa tabela de variação onomástica, seja Evaristo na trilogia de romances, seja Biúte nos contos minimalistas , que ele utilizou para narrar vá-

rias vozes a partir de vários lugares (nenhum lugar em especial), em vários tempos (ne-

nhum em particular), embora enquadrados em uma época que se pode, em largos traços, reconhecer como a nossa , em que até recentemente houve inquisições e há opressão .

2



Para destacar o significado filosófico de haver um significado ou a ausência dele. Ou para o seu próprio prazer de alinhavar e mostrar-nos colagens às vezes surpreendentes do acervo literário e cultural de todos os países e todos os tempos. Uma loucura? mas tem seu método.







OUTRAS INQUISIÇÕES . Título de livro do escritor argentino Jorge Luís Borges.

Maliciosamente, Uilcon Pereira usou as mesmas palavras, porém no sin-

gular , para dar nome ao primeiro romance de sua trilogia (Outra Inquisi-

ção , 1982) .





NONADA . A primeira palavra com que Guimarães Rosa inicia o seu grande romance,

Grande Sertão : Veredas . Uilcon Pereira com ela nomeou , no plu-

ral , o segundo romance de sua trilogia ( Nonadas , 1983 ) .





POLISSEMIA . Em Uilcon paira a aventura da polissemia (não a unidade dogmática).

A diversidade reina , e não uma idéia classificatória da realidade e da arte,

redutora e insuficiente.





DIVERSIDADE . Reina a diversidade, e não uma idéia classificatória da realidade e da

arte, não um esquema redutor e insuficiente .





O OUTRO DA ESCRITURA . Mais um interessante contraponto que deve ser pes-

quisado em sua obra é o conceito de escritura como sendo o Outro da

leitura .









ACENTUADO APEGO AO MITO . Uilcon procurou o-

bras de Lévi-Strauss , justamente porque o conceito de mito já o

seduzira anteriormente. Referências em suas obras são inúmeras ,

como no final do terceiro romance da trilogia ( A Implosão do

Confessionário, 1984) :



“ - uma perguntinha final : e o herói, poderá ressur-

gir um dia ?

renasceu sim , enviveceu , anda por aí, na aldeia

transglobal , caminhando entre aspas “









UMA DAS FRASES PREDILETAS DE U.P. :







QUANDO A FANTASIA SUPERA A REALIDADE,

PUBLIQUE-SE A FANTASIA .



John Ford (1895 – 1973)

cineasta norte-americano











U.P. : nosso primeiro autor pós-moderno ?













Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui