Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
117 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57094 )
Cartas ( 21170)
Contos (12595)
Cordel (10090)
Crônicas (22210)
Discursos (3136)
Ensaios - (9014)
Erótico (13401)
Frases (43740)
Humor (18478)
Infantil (3788)
Infanto Juvenil (2712)
Letras de Música (5470)
Peça de Teatro (1317)
Poesias (138304)
Redação (2926)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2401)
Textos Jurídicos (1925)
Textos Religiosos/Sermões (4887)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->FORMAS EM CORES ILUMINADAS -- 27/07/2002 - 13:59 (João Ferreira) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos




FORMAS EM CORES ILUMINADAS





Jan Muá

25 de julho de 2002







Parei para olhar

O quadro de teu corpo que refletia a tua mente

E que era a meus olhos um painel iluminado

De labirintos resguardados em explícitas linhas e formas.



No quadro de sugestivas encruzilhadas

Abertas à poética navegação

Olhei as cores e os símbolos

redondos e entrelaçados ornamentados e guardados

Em secretas galerias



Em todas as superfícies havia linhas de muita vida

E de movimentos audazes

Dispostos em florestas de formas inexploradas

Certamente densas e iluminadas



Minha vontade era a de ir por aí na sondagem de trilhas

Entre curvas subidas e descidas

Na esperança de que esses labirintos não fossem celas prisionais



Mas fiquei apenas no hall delapidando formas visuais



Recomeçando a cada instante a te examinar de novo

detalhadamente

Eu me certificava sobre presenças impressionistas

expressionistas cubistas surrealistas dadaístas e outras

Na montagem de teu olhar iluminado



No âmago das polícromas formas que me atraíam

Parei na contemplação do mais puro símbolo feminino

Já despreocupado dos mistérios dos labirintos

Vidrado no que expunhas com originalidade

Nas linhas claras do jeito do teu corpo

Aveludado por tua mente nas montanhas da diferença



Porque todos os outros mundos são hostis e grosseiros

Quando acorrentados aos gostos banais da grande turba

Na linguagem de teus quadros vejo a melhor qualidade

De variedade de sentidos e de gostos requintados



O que te averbará muitos pontos na tua carteira de apresentação.











Jan Muá

25 de julho de 2002







Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 74Exibido 756 vezesFale com o autor