Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
55 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 58677 )
Cartas ( 21225)
Contos (13001)
Cordel (10257)
Crônicas (22150)
Discursos (3159)
Ensaios - (9335)
Erótico (13465)
Frases (45881)
Humor (19090)
Infantil (4324)
Infanto Juvenil (3494)
Letras de Música (5465)
Peça de Teatro (1335)
Poesias (137799)
Redação (3032)
Roteiro de Filme ou Novela (1059)
Teses / Monologos (2423)
Textos Jurídicos (1940)
Textos Religiosos/Sermões (5387)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Artigos-->TJN - 007 - Os seguros e as companhias -- 30/05/2007 - 12:12 (TERTÚLIA JN) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
. Há muito tempo atrás, tinha todos os meus seguros numa só companhia. Era uma “Alliança”

Um dia, caiu-me um móvel da cozinha. Como tinha seguro multi riscos habitação, participei à dita companhia, com fotos e tudo, e coloquei a casa à disposição para verificarem o sinistro. Passados dias informaram-me que não tinha direito a receber nada.

Não me conformando, pois o cap.I-Artº1º-al.d) das condições gerais diz que “sinistro é qualquer acontecimento de carácter fortuito, súbito e imprevisto…”, exactamente o que se enquadra neste tipo de acidente. Fiz uma série de reclamações, mas de nada adiantou. Dediquei-lhes alguns “piropos”, mas fiquei sem indemnização.

Entretanto anulei-lhes todos os meus seguros. Mas na última noite de vigência, tive um problema com a água no sótão. Por ser o fim do contracto, participei imediatamente o sinistro. Uma funcionária ficou um pouco perplexa por ser o último dia de vigência e “ter acontecido aquilo”, e por eu dizer que os prejuízos que apontava eram os que se viam naquele momento. Então disse-me: “o Sr podia esperar uns dias e depois participava com todos os dados”. Perguntei-lhe se participasse no dia seguinte, já fora do contracto, se ela aceitava a reclamação? Ficou um pouco confusa, mas lá respondeu que não. Aqui se vê a competência de alguns “gestores de clientes”

Já muito tempo antes de tudo isto, entreguei um processo para o apoio jurídico de um acidente, que também não resolveram, mas quiseram logo que eu pagasse quase € 90, para actualização do seguro. Lá tive que lhes escrever “simpaticamente” a dizer que o seguro estava pago há muito tempo, antecipadamente, daí que, até ao seu término, não pagaria mais nada. E não paguei.

Confirmei a opinião que tinha acerca destas empresas.

Mais, ao transferir os seguros de dois carros, fiquei a pagar, pelos dois, o mesmo que aquela companhia queria que pagasse por um, e com responsabilidade civil de 50 milhões de euros.

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui