Usina de Letras
Usina de Letras
17 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 61962 )

Cartas ( 21333)

Contos (13252)

Cordel (10444)

Cronicas (22531)

Discursos (3236)

Ensaios - (10263)

Erótico (13560)

Frases (50375)

Humor (19998)

Infantil (5391)

Infanto Juvenil (4725)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1375)

Poesias (140716)

Redação (3290)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1956)

Textos Religiosos/Sermões (6141)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Artigos-->Não vejo nenhuma vergonha em falar de sexo -- 09/05/2007 - 16:41 (Anezio Vendrame) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
“Não posso ver mérito algum em se ter vergonha do sexo”



A manhã já tinha ido, e Lucia voltava da escola publica de Chieri, Itália, tinha oito anos e desde os três há freqüentava, cursava agora a serie elementar, suas colegas que a acompanhavam se despediram e Lucia, entrou no prédio onde morava no segundo andar.

Sua mãe a esperava com a merenda pronta. Seu pai estava no campo, cuidando das uvas que naquele ano estava prometendo uma boa safra.

Lucia colocou sua bagagem escolar no seu quarto e foi alegre pra cozinha comer a merenda preparada por sua mãe.

Sua mãe sentada no lado oposto da mesa a olhava satisfação, Lu era uma menina inteligente e estudiosa. O telefone toca: era a amiga Fiorella de Lucia, a convidava para um passeio na tarde na praça do Shopping, Lu combinou a hora, e depois de tirar seu uniforme escolar, beijou sua mãe e foi fazer uma sesta.

Depois de uma hora, se despediu de sua mãe, e foi ao encontro de Fiorella. A praça do shopping não era muito longe, lá chegando viu Fiorella e mais duas amigas da escola, juntas foram ate a sorveteria. Era Abril e a primavera estava quente, com o ar condicionado do prédio, estava convidativa tal atitude.

Depois de saborearem o “gelato” foram até a banca de jornal a fim de ver alguma publicação infantil interessante, Lucia ficou intrigada com as revistas que tinham um plástico escuro sobre as capas, mas, nada disse, voltaram pra praça com os trocados que restaram e quando começou o sol se por, e a noite chegar, tocou o celular de Lucia, era sua mãe que a chamava para voltar pra casa, as amigas se despediram, marcando um novo encontro para o dia seguinte.

Lucia foi recebida por sua mãe que estava conversando com uma cliente, ela era psicóloga, e foi pro banho reconfortante, depois se trocou e pegando um saco escuro cobriu algumas revistas da Disney que tinha em sua pequena escrivaninha.

Quando a janta estava pronta, seu pai chegou e enquanto Lucia aprontava a mesa ele via o jornal televisivo, depois a família se reuniu e saborearam uma espaguetada feita pela mamma.Quando Lucia estava voltando pro seu quarto perguntou à sua mãe, por que as revistas tinham a capa escondida por um plástico, sua mãe lhe explicou que ali tinham fotos que podiam chocar quem olhasse. Lucia pensou um pouco e respondeu: São fotos da guerra mamãe?

-Não filha são fotos de gente adulta sem roupa.

Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui