Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
53 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59106 )

Cartas ( 21236)

Contos (13107)

Cordel (10292)

Crônicas (22195)

Discursos (3164)

Ensaios - (9434)

Erótico (13481)

Frases (46493)

Humor (19273)

Infantil (4456)

Infanto Juvenil (3718)

Letras de Música (5478)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138218)

Redação (3051)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5518)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Infantil-->justiça seja feita -- 30/01/2002 - 08:49 (Domingos Oliveira Medeiros) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
. JUSTIÇA SEJA FEITA
Para fazer justiça é preciso, em primeiro lugar, estar bem informado; em segundo lugar, trocar as reclamações por sugestões. Concordamos que não se deve publicar vários textos de uma só vez, nem publicá-los em vários endereços ou categorias literárias como queiram. Acontece que este assunto tem sido motivo de preocupação desde o ano passado. Há tempos estamos lutando para que esta, e outras disfunções do site, sejam corrigidas. Como na época não encontramos a receptividade esperada, resolvemos partir para a colaboração, ao invés da reclamação. E iniciamos um processo de elaboração de proposta objetivando inserir mudanças no Usina de Letras com a finalidade de torna-lo menos suscetível a essas e outras disfunções do sistema. O último dia para apresentar sugestões é hoje, 30 de janeiro. Vocês que reclamam muito, bem que poderiam colaborar com as soluções. Ainda há tempo. O interessante é que a maioria dos companheiros não davam a menor importância ao contido nas sugestões que divulgamos nos dias 04, 12, 18 e 23 de janeiro. Nem se deram ao trabalho de ler a proposta de mudanças publicada em Cartas, dia 30 de dezembro de 2001. Como não existia, e ainda inexiste, norma de teor proibitivo a respeito, resolvemos proceder do mesmo modo, publicando vários textos, várias vezes, no mesmo dia, como isca para os que só gostam de reclamar. E deu certo. Recebi tanta reclamação que passei a chamar a atenção para as propostas de mudanças. Houve muita colaboração. E hoje, elas estão quase prontas. Na reta final para ser encaminhada aos responsáveis pelo
Usina de Letras. Vamos retirar a máscara da crítica gratuita, arregaçar as mangas e ao trabalho. Atirar pedras na vidraça alheia é sempre mais fácil do que procurar, primeiro, entender o que se passa e, de alguma forma, apresentar alguma colaboração.

Domingos Oliveira Medeiros
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui