Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
50 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59106 )

Cartas ( 21236)

Contos (13107)

Cordel (10292)

Crônicas (22195)

Discursos (3164)

Ensaios - (9434)

Erótico (13481)

Frases (46493)

Humor (19273)

Infantil (4456)

Infanto Juvenil (3718)

Letras de Música (5478)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138218)

Redação (3051)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5518)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Letras_de_Música-->Sempre Não é Todo Dia (interpretação de Zizi Possi) -- 31/12/2003 - 05:13 (Georgina Albuquerque) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
. A música abaixo foi maravilhosamente interpretada por Zizi Possi, numa participação no LP "Aldeia dos Ventos" (1985) de Oswaldo Montenegro (fora de catálogo). Em 1987, o LP foi remasterizado e comercializado em CD. As críticas ao trabalho alegavam que a música fazia apologia à cocaína.

Parece-me que a OMOL (através do endereço www.omol.com.br/promo2.htm) está disponibilizando vinte unidades do referido CD. Das músicas incluídas, uma apenas é absolutamente cantada por Oswaldo Montenegro. As demais ficam a cargo dos intérpretes Ney Matogrosso, Gonzaguinha, Lucinha Lins e Glória Pires, entre outros.

Em decorrência do retorno da peça "Aldeia dos Ventos" (direção de Paloma Duarte), a sua trilha musical já migrou do estúdio para a fábrica e brevemente estará (atualizada) à disposição do público. Não sei, no entanto, quem participará do CD...


************************************************

Sempre Não é Todo Dia (Oswaldo Montenegro/Mongol)

Eu hoje acordei tão só,
mais só do que eu merecia
Olhei pro meu espelho e Rá!
gritei o que eu mais queria
Na fresta da minha janela,
raiou, vazou a luz do dia,
entrou sem me pedir licença
querendo me servir de guia

E eu que já sabia tudo
das rotas da Astrologia,
dancei e a cabeça tonta,
o meu reinado não previa

Olhei pro meu espelho e Rá!
meu grito não me convencia,
princesa eu sei que sou pra sempre,
mas sempre não é todo dia

Botei o meu nariz a postos,
pro faro e pro que vicia,
senti teu cheiro na semente
que a manhã me oferecia

Olhei pro meu espelho e Rá!
meu grito não me convencia,
princesa eu sei que sou pra sempre,
mas sempre não é todo dia

Eu hoje acordei tão só,
mais só do que eu merecia
e eu acho que será pra sempre,
mas sempre não é todo dia.



.
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui