Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
161 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 58677 )
Cartas ( 21225)
Contos (13001)
Cordel (10257)
Crônicas (22150)
Discursos (3159)
Ensaios - (9335)
Erótico (13465)
Frases (45881)
Humor (19090)
Infantil (4324)
Infanto Juvenil (3494)
Letras de Música (5465)
Peça de Teatro (1335)
Poesias (137799)
Redação (3032)
Roteiro de Filme ou Novela (1059)
Teses / Monologos (2423)
Textos Jurídicos (1940)
Textos Religiosos/Sermões (5388)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Artigos-->TJN - 011 = Estamos cansados de fabricantes de governantes -- 22/02/2007 - 15:08 (TERTÚLIA JN) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
. Até especialistas em movimentação psicológica de populaça se contratam a peso de ouro para procederem ao fabrico de governantes. Já sabemos disso há quanto tempo?



Vimos e ouvimos com nossos olhos e ouvidos como a RTP fabricou num ápice dois primeiros-ministros sucessivos: um para abater (perigoso pró sistema no discurso) e outro para imediatamente lhe suceder (mais calmo, ponderado e simpático). Foi ou não foi?



Estamos a ver e a ouvir no actual decurso como se fabrica um Presidente da República ao exacto tamanho do nosso país. Com um jeitinho daqueles "do-nunca-se-sabe" até lograremos a dupla com a mesma altura, um, mais gordinho para se alapar, e outro, mais elegante para andar a correr de um lado para o outro.



Temos até um professor semanal que não desdenharia tentar mais um mergulho no Tejo. Admira-me é que ainda não se tenha enervado e atirado com os livros e as notas ao homem da câmara-lenta.



Enfim, estamos perfeitamente a ouvir e a ver, mas dá ideia de que nada é connosco em absoluto. Surdos e cegos, fartámo-nos de falar para o tecto da inépcia, livres, democraticamente levados num sonho lindo que nasceu há 33 anos e vai morrendo pelo caminho.



E porquê? Porque somos tão-só uma cambada de espertalhões que só sabem vencer-se uns aos outros.



António Torre da Guia
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui