Usina de Letras
Usina de Letras
22 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 61963 )

Cartas ( 21333)

Contos (13252)

Cordel (10444)

Cronicas (22531)

Discursos (3236)

Ensaios - (10264)

Erótico (13560)

Frases (50380)

Humor (20000)

Infantil (5391)

Infanto Juvenil (4726)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1375)

Poesias (140717)

Redação (3290)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1956)

Textos Religiosos/Sermões (6142)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->Via das Dúvidas -- 08/07/2002 - 10:43 (Andrea del Mare) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
rico

rico e rico



um charuto em forma de bunda

à tardinha ele acendeu

no finalzinho

e ninguém viu



ficou no ar

a história vã

rangendo os dentes

da vizinha cadeiruda

sem fôrça elétrica

nem nada

nua de nada

(como nua é a parede

sem o bigode de um retrato)



e ele lá

atirou a fumaça pérfida

(anel de ciúme )

na vertical

de um espaço que desceu

(retinto)

na contra-mão.



Ora,

todas as bundas

que do túnel saíram

- olhem-nas de novo -

no túnel entraram

e pelas pernas bambas

da gravata frouxa

de uma noite-homem.



Espalhafato :

no cisudo azulejo azul

ouviram a voz gentil:

- uuuuuuuuu...



ele

em ócio voraz

fumava lá seu azul

assoberbando-se

na fina paciência que tem

entre cambraias e lençóis

fim de tarde

ele só me olhando

sem o sincero do ôlho

que esconde a curva

( graciosa )

dessa bôca

que ninguém sabe.

Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui