Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
49 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59135 )

Cartas ( 21236)

Contos (13102)

Cordel (10292)

Crônicas (22196)

Discursos (3164)

Ensaios - (9439)

Erótico (13481)

Frases (46519)

Humor (19281)

Infantil (4461)

Infanto Juvenil (3729)

Letras de Música (5479)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138234)

Redação (3054)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5525)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Artigos-->O Poder, de GAMALIEL NORONHA -- 22/01/2007 - 06:03 (Michel Pinheiro) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
.

Poder





Publicado no jornal Diário do Nordeste, dia 22 de janeiro de 2007.







GAMALIEL NORONHA

Economista e comunicador







A saída e a ascensão de governantes e auxiliares fazem-nos refletir sobre dois poderes existentes: o posicional e o pessoal. O primeiro, como evidencia o próprio nome, nasce das posições individuais galgadas na vida, fruto da competência profissional e/ou política ou do apadrinhamento, este definido de forma genial pela sabedoria popular: ´Um jabuti no alto de uma cerca, ou foi enchente ou foi gente´.



O preocupante para a sociedade é quando, na esfera pública, o poder posicional cai nas mãos dos sedentos de autoritarismo e míopes de visão social. Eis aí o chamado poder do birô onde o seu ocupante alimenta ingenuamente a ilusão de ser eterno em seu cargo ou função e, por isso, considera-se proprietário vitalício do gabinete e de todas as suas benesses. Este coitado esquece: os lugares não honram os homens, mas, sim, os homens honram os lugares. E, como o tempo é implacável, mais cedo ou mais tarde, ele vai amargar a triste realidade do ostracismo: sentir-se só e, em muitas ocasiões, sem a própria companhia. E isso tudo seria bem diferente se no início da trajetória tivesse atentado para uma inestimável lição de vida: ´Trate bem as pessoas quando estiver subindo; você tornará a encontrá-las quando estiver descendo´.



Com raríssimas exceções, o poder posicional é efêmero, passageiro. Mas, para suprir esta ausência pelos indivíduos de boa vontade, existe o outro poder - o pessoal - duradouro, estruturado em valores intrínsecos da personalidade, responsáveis por uma sensação agradável de liberdade e realização íntima. Alguns exemplos: o conhecimento, a criatividade (´quando você está criando, você é um homem livre´), a ocupação digna, o relacionamento e a espiritualidade. O poder pessoal é, pois, o status adquirido pelos zelosos com o saber, a consciência e o exercício da cidadania. Ele não é privilégio de poucos e nem possui transitoriedade. Seguindo este raciocínio, ensina-nos com muita propriedade o desembargador Hugo de Brito Machado: ´Autoridades são apenas alguns e durante algum tempo, enquanto cidadãos somos todos nós e durante toda a vida´.









Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui