Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
101 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57397 )
Cartas ( 21182)
Contos (12616)
Cordel (10142)
Crônicas (22260)
Discursos (3139)
Ensaios - (9065)
Erótico (13414)
Frases (44153)
Humor (18595)
Infantil (3854)
Infanto Juvenil (2804)
Letras de Música (5477)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138563)
Redação (2942)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2409)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4945)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Redação-->Julho de Morte -- 15/07/2006 - 23:15 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

Julho de Morte

Todos vão de férias. Vão para lugares coloridos, em festa. Abraçam o desconhecido sempre e quando a segurança os mantenha protegidos.
Eu viajo.
Viajo sei lá pra onde, ou sempre para o mesmo lugar: como você, como ela, aos confins de alguns lugares que imagino...
Como pontes de areia, dentro em mim, viva e forte.
Na sensação da noite. Também na sensação da manhã, viajo dentro da cabeça
à procura de abertura, de uma idéia que me troque pelo incerto, pelo limite fugaz.
E não encontro passagem.
Acho apenas o conhecido, me chateio, te reclamo - tú não estás!
O que fazer com as pernas, com o peito, com a boca?
Julho e morte, tudo junto, não adianta chorar : o que está dentro não muda- nem mesmo em outro lugar.


Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui