Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
121 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57036 )
Cartas ( 21169)
Contos (12598)
Cordel (10077)
Crônicas (22200)
Discursos (3134)
Ensaios - (9000)
Erótico (13395)
Frases (43635)
Humor (18454)
Infantil (3772)
Infanto Juvenil (2687)
Letras de Música (5470)
Peça de Teatro (1316)
Poesias (138231)
Redação (2924)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2400)
Textos Jurídicos (1925)
Textos Religiosos/Sermões (4851)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Infantil-->PÉ NO BOLO NUMA FESTA DE ANIVERSÁRIO -- 18/05/2008 - 21:54 (GERMANO CORREIA DA SILVA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

PÉ NO BOLO NUMA FESTA DE ANIVERSÁRIO
(Por Germano Correia da Silva)

O garoto Pé no Bolo é muito benquisto no convívio social de sua comunidade, principalmente na sua escola. Por ser um garoto muito extrovertido e bem desenvolto, ele tem alguns colegas que vivem a procurá-lo, geralmente para terem com ele um “dedinho de prosa”; os seus colegas mais assíduos e que vivem, geralmente, em busca de atividades lúdicas desenvolvidas por ele, são os garotos Carumã e Jimmy Kaled.

Carumã, o menor deles, é um garoto de descendência indígena que mudou para a sua comunidade faz pouco tempo. Tal qual o garoto Pé no Bolo, ele é muito arteiro, contudo, para compensar essa sua condição de menino traquinas, ele é muito dedicado aos estudos.

Já o garoto Jimmy Kaled tem as mesmas características de Carumã; é considerado por muitos garotos de sua vizinhança como o melhor aluno de sua classe. Vive com os seus avós desde que era apenas um bebê. Ele conta que não conhece o seu pai e que sua mãe trabalha no exterior. Afirma sempre, de forma muito orgulhosa, que de vez em quando ela vem visitá-lo e lhe traz muitos presentes.

Seus avós, por sua vez, parecem guardar algum segredo acerca do paradeiro do pai dele. Quando alguém toca no assunto, eles apenas dizem que durante algum tempo ele viveu envolvido com guerrilhas urbanas e que há muito tempo não dá notícias. Jimmy ainda não tem pleno conhecimento disso. Ele imagina que seu pai também esteja morando no exterior e, talvez, por ter brigado com sua mãe, não a tem acompanhado nas visitas que ela lhe tem feito, a cada dois anos.

Pé no Bolo é, realmente, uma figura muito conhecida no âmbito de sua comunidade e por ser muito querido por todos, sobretudo pelas famílias de Carumã e Jimmy Kaled, tem passagem livre no convívio mais íntimo das respectivas residências.

Ele não é um aluno exemplar no tocante ao desempenho escolar, a despeito desses seus dois colegas de classe, mas tem um senso de responsabilidade muito grande e um espírito de solidariedade bastante aguçado, principalmente quando o assunto é cultivar amizades e ajudar o próximo e isso tem feito dele uma criança diferente das demais.

Certo dia, numa festa de aniversário do seu colega Jimmy, no momento em que os avós do aniversariante cantavam a música “Parabéns a você”, Jimmy não parava mais de chorar. Naquela hora, decerto, ele sentia muita falta das figuras paterna e materna. Pé no Bolo, de olhos atentos para a mesa onde estava o bolo, ao presenciar aquela cena que mexeu com o lado emocional de seu amigo, não se fez de rogado:

Pediu o microfone e com um ar de apaziguador e demonstrando bastante humor, se saiu muito bem com mais uma de suas tiradas, tendo sido aplaudido por todos como se fosse o verdadeiro anfitrião, ao proferir com voz bastante firme e numa tonalidade bem suave, a seguinte frase:

- Jimmy, pare de chorar, feito um bezerro desmamado, meu garoto, pois ainda que seus pais não estejam aqui para lhe abraçar, nós poderemos fazê-lo por muitas vezes, hoje e sempre. Portanto, enxugue suas lágrimas com essa toalha que lhe dei de presente e agradeça a Deus por mais esse ano de existência, pois com a presença de seus pais ou não, a vida continua, de preferência, com muita saúde e comendo bolo de aniversário.

Ali, de uma forma automática, todas as pessoas presentes riram e correram para abraçar e, ao mesmo tempo, consolar o aniversariante, num ato festivo semelhante à comemoração de um gol valendo o título de um campeonato de futebol e, numa voz uníssona, continuaram cantando a música antes iniciada pelos avós do anfitrião.

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui