Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
46 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59142 )

Cartas ( 21236)

Contos (13107)

Cordel (10292)

Crônicas (22196)

Discursos (3164)

Ensaios - (9441)

Erótico (13481)

Frases (46535)

Humor (19286)

Infantil (4462)

Infanto Juvenil (3733)

Letras de Música (5479)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138253)

Redação (3054)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5528)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Infantil-->Macabeia minha primeira amiga -- 02/10/2007 - 23:31 (Ulisses de Abreu) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
. Macabeia minha primeira amiga



Gostoso era ir brincar na casa da vovó Catarina, todas as vezes que lá chegávamos, éramos recebidos com um sorriso tão especial que nos fazia acreditar que não haveria amor no mundo se não houvesse aquele sorriso. Éramos às vezes cinco, quatro, mas nunca menos que dois visto que, todos os netos eram igualmente apaixonados por ela e por aquele lugar.
Enquanto os outros corriam feitos crianças felizes por entre os pomares de frutas cítricas ou ao redor do imenso lago provocando os gansos, eu gostava mesmo era de brincar com a macabeia, para mim macabeia era a criatura mais bacana desse mundo, e porque não dizer do universo? Sim, ela era demais! Primeiro eu sentava ao lado dela e contava pra ela tudo que havia acontecido comigo naquela semana, falava da implicância das outras meninas da escola com as tranças nos meus cabelos, falava de como era difícil ser criança e ao mesmo tempo ter que tirar nota boa na escola para agradar os adultos, falava dos preparativos para minha festa de nove anos que muito me emocionava, falava e falava, às vezes por horas sem parar e a minha amigona ali, quietinha, calada, nunca reclamava, muito pelo contrario, quando devido a um assunto triste eu chorava os olhos dela solidariamente lacrimejavam, apesar de que, lacrimejavam também quando eu a montava. Ela me carregava vagarosamente, e eu sentada sobre macabeia me sentia uma princesa em um daqueles contos de fadas. E novamente eu me emocionava diante daquele momento que para mim era mesmo um conto de fadas... Mas como em toda historia tem que ter sempre um desmancha prazeres, minha mãe exatamente no ápice do meu encantamento gritava: ¨ desce de cima dessa tartaruga Alice, não vê que a coitada já não te agüenta mais... ¨
Ate hoje não sei o que foi pior, admitir que quanto mais eu crescesse mais macabeia encolheria ou admitir que quando mais o tempo passasse mais distante de macabeia eu ficaria...



Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui