Usina de Letras
Usina de Letras
74 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59664 )

Cartas ( 21255)

Contos (13325)

Cordel (10320)

Crônicas (22226)

Discursos (3169)

Ensaios - (9536)

Erótico (13486)

Frases (47213)

Humor (19420)

Infantil (4624)

Infanto Juvenil (3938)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1340)

Poesias (138775)

Redação (3078)

Roteiro de Filme ou Novela (1061)

Teses / Monologos (2432)

Textos Jurídicos (1946)

Textos Religiosos/Sermões (5657)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Artigos-->Adeus a "O Globo" - Olavo de Carvalho -- 05/07/2005 - 14:38 (Félix Maier) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Adeus ao Globo



por Olavo de Carvalho em 05 de julho de 2005



Resumo: Quando fui demitido da revista Época, a explicação que recebi foi “corte de despesas” – medida de ordem administrativa, sem qualquer sentido político ou mesmo jornalístico. Logo depois, o diretor de redação, Paulo Moreira Leite, deu com a língua nos dentes, quando, em resposta a um leitor, expressou toda a raiva política que a minha pessoa lhe inspirava. Agora, acabo de ser demitido do Globo com a mesma desculpa. Recebi o aviso do editor de opinião, Aluizio Maranhão, hoje de manhã. Terá sido pura coincidência o fato de que na semana passada o jornal, através da coluna de Merval Pereira, reconheceu pela primeira vez a existência e a importância do Foro de São Paulo, que ali denunciei por anos a fio enquanto o restante da publicação tratava de ocultá-las metodicamente?



© 2005 MidiaSemMascara.org



Quando fui demitido da revista Época, a explicação que recebi foi “corte de despesas” – medida de ordem administrativa, sem qualquer sentido político ou mesmo jornalístico. Logo depois, o diretor de redação, Paulo Moreira Leite, deu com a língua nos dentes, quando, em resposta a um leitor, expressou toda a raiva política que a minha pessoa lhe inspirava.



Agora, acabo de ser demitido do Globo com a mesma desculpa. Recebi o aviso do editor de opinião, Aluizio Maranhão, hoje de manhã.



Terá sido pura coincidência o fato de que na semana passada o jornal, através da coluna de Merval Pereira, reconheceu pela primeira vez a existência e a importância do Foro de São Paulo, que ali denunciei por anos a fio enquanto o restante da publicação tratava de ocultá-las metodicamente?



Ou, ao contrário, o jornal, ao admitir implicitamente que mentiu para os leitores durante uma década e meia, decidiu com lógica exemplar dar sumiço à prova do crime, para poder fingir naturalidade ao falar do Foro doravante, como se o assunto sempre tivesse estado presente nas suas páginas, com a regularidade das colunas de turfe e das cotações da bolsa?



A hipocrisia brasileira é a oitava maravilha do mundo. Ela vai além de tudo o que Tartufo, Iago, Maquiavel e Macunaíma, juntos, poderiam inventar. Se tento explicar o fenômeno aos americanos, eles instintivamente entendem errado. O limite do que podem conceber é Bill Clinton jurando que não comeu Mônica nenhuma. Não conseguem imaginar uma cultura nacional inteira feita de milhões de clintonzinhos.



Mas, enfim, não há nada de estranho no que aconteceu. Ninguém ignora que O Globo é o Diário Oficial do lulismo, que minha presença lá era uma aberração e uma incomodidade. Agora voltou tudo ao normal.



Querem saber do que mais? O corte brutal do meu orçamento doméstico é, nas presentes condições, uma libertação. Vou mais é para Virginia Beach tomar banho de mar, ouvir as bandas, ver a queima de fogos e participar da alegria nacional deste país hospitaleiro e generoso. O Globo que se dane.



***



Obs.: Repito, pela milésima vez: é a consolidação do comunofascismo em nosso País, em que apenas os bajuladores do petismo e os empresários "aderentes" (conheça Gramsci, amigo leitor!) podem emitir sua opinião ao grande público (F.M.).





















Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui