Usina de Letras
Usina de Letras
63 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59276 )

Cartas ( 21241)

Contos (13148)

Cordel (10297)

Crônicas (22219)

Discursos (3164)

Ensaios - (9464)

Erótico (13486)

Frases (46713)

Humor (19313)

Infantil (4488)

Infanto Juvenil (3785)

Letras de Música (5484)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138414)

Redação (3059)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5564)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Discursos-->NESSES TEMPOS DE INDIFERENÇA -- 16/10/2008 - 14:06 (Edmar Guedes Corrêa****) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
NESSES TEMPOS DE INDIFERENÇA

O solitário que procura
No deserto da multidão
Alguém que lhe cure
Essa maldita solidão

Pode estar em vão
Fazendo sua procura
Pois a vida em solidão
É a realidade mais pura

Sentir-se sozinho
Entre tanta gente
É ver passar o vizinho
Com ar indiferente

É ver alguém caído
Em prantos numa calçada
E passar despercebido
Como se não houvesse nada

É como ver a dor alheia
E não se emocionar
É como se um corpo na areia
Tomasse banho de mar

É assim que a vida anda
Nesses tempos de indiferença
Em que o individualismo manda
E impera a descrença



SE VOCÊ GOSTOU DESSE TEXTO, LEIA TAMBÉM:
MENTIRAS VERDADEIRAS
O PRAZER DA BUSCA
UMA BUSCA INUTIL
CURTAS MENTES
NEM QUE EU FOSSE...
O ÚLTIMO REPOUSO
QUANDO SE ESTÁ AMANDO
A NOBREZA DO AMOR
DISCURSO DE UM ELEITOR
EU NÃO ME ENGANO
AMAR NÃI É APODERAR-SE
O CORPO FEMININO
Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui