Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
51 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59156 )

Cartas ( 21237)

Contos (13110)

Cordel (10292)

Crônicas (22201)

Discursos (3164)

Ensaios - (9445)

Erótico (13482)

Frases (46558)

Humor (19288)

Infantil (4464)

Infanto Juvenil (3737)

Letras de Música (5480)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138289)

Redação (3057)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5536)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cordel-->O Quintal -- 15/12/2000 - 16:13 (Vânia Moreira Diniz) Siga o Autor Outros Textos
. http://planeta.terra.com.br/arte/vaniadiniz

O quintal da casa de meus avós,
Foi um dos encantos
De minha infância turbulenta.
Brincávamos, brigávamos
E voltávamos a brincar.
Tudo ali era atração e liberdade.


Correr, gritar, suados e barulhentos,
O pé de carambola acima,
O espaço livre e limpo,
A babá vigiando nossos passos,
Vozes agradáveis lá dentro,
E o lanche gostoso mais tarde.

O aroma de bolos e salgados,
As mesinhas para os pequenos
Em dias de verão,
No quintal barulhento.
As crianças pulando,
Os jovens conversando.

Risos e confusão.
Choros e agitação.
Nervosismos tratados com carinho.
Alegrias compartilhadas
Presentes recebidos,
Em gestos de afeição.

A cadeirinha disputada,
Os balanços ritmados,
As carambolas vez por outra
Caindo na platéia.
E o gargalhar assustado,
Risos acompanhando.

Os adultos vinham ligeiros,
Fumavam ou discutiam,
Nos puxavam afetuosos
Para um abraço eventual.
Entravam e recomeçavam
A animada conversa.

E o quintal maravilhoso,
Congestionado
de petizes brincalhões,
Continuava no ritmo alucinado.
O banco de cimento,
Os ladrilhos vermelhos,
E o agrado da babá.

A noite chegando,
Os garotos sonolentos,
Os olhos vermelhos e fechando,
E o quintal testemunhando,
Vida livre e espontânea.

O tempo passaria,
A saudade então viria,
Mas nunca esqueceria
O encanto do quintal.

O quintal daquela casa
Era um mundo especial,
Hoje o recordo
Tantas vezes e tão profundamente
Que as lágrimas
Descem lentas, deixando entrever
Em seu brilho, o reflexo do quintal.
Vânia Moreira Diniz



Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui