Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
183 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 58444 )
Cartas ( 21217)
Contos (12940)
Cordel (10248)
Crônicas (22144)
Discursos (3154)
Ensaios - (9303)
Erótico (13459)
Frases (45636)
Humor (19032)
Infantil (4261)
Infanto Juvenil (3391)
Letras de Música (5457)
Peça de Teatro (1331)
Poesias (137836)
Redação (3023)
Roteiro de Filme ou Novela (1059)
Teses / Monologos (2418)
Textos Jurídicos (1938)
Textos Religiosos/Sermões (5334)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Teses_Monologos-->TJN - 04 = Petróleo, O Óleo do Demónio -- 05/11/2007 - 20:39 (TERTÚLIA JN) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
. PETRÓLEO, O ÓLEO DO DEMÓNIO

“Tu comerás o teu pão do suor do teu rosto”. Foi esta a sentença proferida pelo Criador, quando expulsou o Homem do Paraíso das Delícias, por ter degustado o pomo proibido da Árvore da Ciência e que o levou a adquirir a Razão, a auto-consciência e a Alma (um processo psicogenético que demorou milhões de anos terrestres), começando aí todos os seus trabalhos.
Com a Razão e a Consciência adquirida, o Homem sentiu-se nu e novas exigências surgiram que o obrigaram ao cumprimento da sentença com o Trabalho que afasta o ócio e o vício, dignifica, redime e traz a felicidade do dever cumprido por ser cumprimento duma sentença divina.
Mas o pólo negativo indestrutível, simbolizado pelo demónio, por necessário ao processo evolutivo e à prova da vida que forma a alma, tudo fez para que o Homem fugisse ao cumprimento de tal sentença que prejudicava seus intentos. Então, pelo estímulo aliciante do progresso e bem-estar, leva-o a procurar novas energias que lhe facilitassem a vida e lhe proporcionassem menos trabalho físico, libertando-o do cumprimento da sentença.
E assim, com a ajuda do Maligno, descobre o Homem as benesses do petróleo, o óleo negro do demónio, que vem lá das profundezas da terra ou dos abismos do Inferno, facilitar-lhe a vida mas também poluir o ar os mares, os rios, todo o ambiente, provocar doenças e acidentes que matam nas estradas milhares de seres humanos e originar sangrentos conflitos que, para além de provocarem milhões de mortes, estão a pôr em perigo o próprio planeta azul da vida, tornando-o inabitável, sem vida, como os demais do sistema solar.
É o castigo que acaba sempre por surgir, quando a racionalidade, ainda incipiente, foge a uma sentença divina inevitável mas contornável com a observância dos Ensinamentos que foram ministrados. Assim, procedendo autonomamente, como ser responsável, imputável e punível, o Homem terá que arcar com as consequências dos seus actos que correm o risco de ser fatais, pois Deus não poderá intervir mais no organismo vivo que criou.
Será a vitória do demónio sobre a Razão e a Consciência ou até sobre o próprio Criador?


28/02/03

Reinaldo Beça


Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui