Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
55 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59127 )

Cartas ( 21236)

Contos (13112)

Cordel (10292)

Crônicas (22195)

Discursos (3164)

Ensaios - (9439)

Erótico (13481)

Frases (46510)

Humor (19279)

Infantil (4457)

Infanto Juvenil (3725)

Letras de Música (5478)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138227)

Redação (3054)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5523)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Artigos-->GUERRA AO “NÃO CONSIGO” -- 04/08/2004 - 16:17 (fernanda araújo) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
. GUERRA AO “NÃO CONSIGO”

Zózima Guimarães – Jornal Agora de Divinópolis – 31/07/04



Hoje é dia de um santo muito especial, Inácio de Loyola, fundador da Companhia de Jesus, dos jesuítas. Ele deixou uma orientação muito preciosa para nós outros: Ter fé como se tudo só dependesse de Deus, mas agir como se tudo só dependesse da gente mesmo. Imagine-se agora no fundo de um poço, literalmente, como aconteceu dias atrás com aquele rapazinho de Belo Horizonte. Depois do susto da caída, dos gritos em vão por socorro ... gritos sem eco, sem esperança. Um dia, dois dias, três dias ... nove dias! Só duas direções a olhar: para o alto, quando dava sorte de ver estrelas ou alguma nuvem passageira, ou para dentro de si. Dava quase na mesma desesperança... esperança... desespero... Um desfile de recordações. Cadê a mãe? O pai? Os meninos?! “Pro homem de fé, Deus abre o caminho” ... ele se lembra dessa musiquinha e tem momentos de êxtase, imaginando Deus mandando água do céu. De fato chove, chove bastante e ele se sacia. Muita água e um pouco de terra. Não é assim tão ruim. Minhocas... Ele dorme um pouco e ... acorda... dorme de novo... Escuta a voz de um amigo de um amigo dele gritando de alegria. E, desta vez é verdade. Quando acorda, já está no hospital rodeado de gente. Falo é que forças extraordinárias vieram em socorro dele. Aquelas que a gente tem, mas nem avalia sua intensidade. Depois de me imaginar no fundo do poço como aquele boyzinho, perderam forças para mim atitudes de “não posso”, “não dou conta”. Tais atitudes são defesas de fracos, dos que tem preguiça de ir à luta. Bom é viver como recomenda Santo Inácio, confiando totalmente no processo de vida e, por outro lado, agindo (até comendo terra se for preciso) como se tudo dependesse só da gente.

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui