Usina de Letras
Usina de Letras
68 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59548 )

Cartas ( 21247)

Contos (13275)

Cordel (10314)

Crônicas (22226)

Discursos (3166)

Ensaios - (9515)

Erótico (13500)

Frases (47092)

Humor (19388)

Infantil (4575)

Infanto Juvenil (3875)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1340)

Poesias (138609)

Redação (3078)

Roteiro de Filme ou Novela (1061)

Teses / Monologos (2430)

Textos Jurídicos (1946)

Textos Religiosos/Sermões (5633)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Artigos-->Cá Estamos Nós, criando o ciberespaço da lusofonia -- 21/09/2001 - 23:57 (Rosy Feros) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos


Carlos Leite Ribeiro, português nascido e criado no centro de Lisboa ("alfacinha de gema"), é

jornalista, escritor de contos, crônicas e peças teatrais nas horas vagas. Por vários anos atuou no

rádio, uma de suas paixões (hoje ainda consultor de várias estações radiofônicas). Morando em

Marinha Grande, distrito de Leiria-Portugal, adora música brasileira, cozido à moda portuguesa,

aprecia longas caminhadas e normalmente anda vestido de jeans, camisa e tênis.



De seu pequenino estúdio na Marinha Grande (Leiria), ele organiza e administra remotamente um

grande complexo cultural que reúne assinantes e colaboradores de todo o mundo lusófono, liderando

uma equipe que se distribui por vários cantos do Brasil e de Portugal.



"Cá Estamos Nós", projeto cultural idealizado, editado e mantido por ele, carro-chefe de todas as

publicações e divulgações, é uma pequena organização sem fins lucrativos, que prima pela manutenção

das relações de cortesia e amizade e tem por filosofia promover trabalhos literários entre seus

amigos.



Embora seus contatos se dêem com base em relações de amizade, seu projeto cultural nada tem de

pequeno e demonstra ser muito bem organizado, mesmo sendo ele o único editor. Foi através de todo

esse trabalho que ele construiu, pixel por pixel, uma comunidade virtual que nada deixa dever à

idéia visionária do poeta português Fernando Pessoa: "Minha pátria é a língua portuguesa".



Parece exagero? Os números e a diversidade de seus contatos, assim como a receptividade e os

prêmios recebidos por seu trabalho "ao estilo das formigas", comprovam que não se trata de exagero.

Apesar de tudo, é difícil falar de Carlos sem usar superlativos, e ainda mais admirável saber que

tal ponte cultural da lusofonia foi erguida com os esforços de um único homem.





>> Ajudar, para ser ajudado



Carlos gosta e está acostumado a trabalhar em equipe, e faz questão de trabalhar em regime de

reciprocidade. É um amigo, não é um oportunista.



Seu lema é "Ajudar para ser Ajudado", e é nesta base que se sustenta todo o seu aparato de

divulgação cultural pelos cinco continentes: Portugal, Brasil, Cabo Verde, Angola, Moçambique,

Macau, Timor, Austrália, França, Alemanha, Suécia, Holanda, Bélgica, Luxemburgo, Canadá e Estados

Unidos.



Sua forma de distribuição direta por e-mail consiste de cerca de 150 listas, com 140 listas de

cerca de 100 endereços cada, perfazendo quase 14 mil endereços residentes ou fixos. Além disto, tem

mais 10 outras listas para envios eventuais, perfazendo um total de mais de 15.000 envios diretos.

Estes números, no entanto, estão sempre mudando, pois a cada dia novas pessoas são acrescentadas às

suas listas.



Seu público é composto por escritores, jornalistas, professores, editores, livreiros, políticos,

empresários, bibliotecas, embaixadas, consulados, corpos diplomáticos, rádios, televisões, jornais,

revistas, escolas (inclusive Superiores), institutos e universidades.



No 3º Encontro Luso-Galaico de Editores e Livreiros (1999), em Leiria, Carlos recebeu elogios e

cumprimentos da parte de editores e livreiros pela repercussão de seu trabalho por toda a pátria

lusófona.



Em fevereiro de 2000, Carlos foi entrevistado pela RTP - Rádio e Televisão Portuguesa,

essencialmente para falar do "Cá Estamos Nós" e do PORTAL

http://www.casadearabella.com.br/caestamosnos/ , projeto de divulgação cultural que se utiliza de

recursos da linguagem radiofônica. Na Ilha da Madeira, também deu duas entrevistas: uma à

RDP-Madeira e outra à RTP-Madeira, alcançando emigrantes madeirenses na costa oriental do Canadá,

EUA, Venezuela e África do Sul.



Como poucos, Carlos tem o dom da Comunicação Social, e sabe aproveitar amplamente os recursos

interativos da rede. É capaz de comunicar-se com pessoas de vários estilos culturais e profissões

diferentes, além de ser hábil em criar laços fortes e duráveis - contradizendo o argumento de que a

internet é fria e isola as pessoas.





>> Recomendado pelo Ministério da Cultura Português



Todos os canais de divulgação do "Cá Estamos Nós" são mencionados e aconselhados nos boletins da

SPE - Sociedade Portuguesa de Escritores, SPA - Sociedade Portuguesa de Autores, APR - Associação

Portuguesa de Radiodifusão, ARIC - Associação de Rádios de Inspiração Cristã, GL - Grémio Literário

e SPEL - Sociedade Portuguesa de Editores e Livreiros. Além disto, é referência no SAPO, um dos

maiores mecanismos de busca portugueses.



O Ministério da Cultura Português, na reunião de 11 de dezembro de 2000, atribuiu ao projeto de

divulgação "Criativo" e ao "Magazine Cá Estamos Nós" o título de "Utilidade Cultural" [ofício de nº

0911/12/00].



O próprio Dr. Marcos Azevedo, diretor do IPLB -Instituto Português do Livro e das Bibliotecas

recomendou o projeto cultural lusófono de Carlos a todas as bibliotecas nacionais e municipais,

assim como todas as bibliotecas das comunidades portuguesas espalhadas pelo mundo e eventos

chancelados pelo Ministério da Cultura e Instituo Português do Livro, como Feiras do Livro,

Lançamentos e Mostras Literárias.



Segundo R. B. Pires, editor do site "Literário On-Line" de Camocim-Ceará

(http://www.carlosleite.ezdir.net) , Carlos "é uma espécie de Rei Midas da Literatura: tudo que

toca, vira arte!". Carlos, entretanto, define-se como "uma sinfonia incompleta", "um indivíduo em

constante construção".



Carlos Leite Ribeiro e o "Cá Estamos Nós" são os dois lados de uma mesma moeda: impossível falar de

um sem falar do outro, tamanha é a identificação, dedicação e carinho que ele nutre por seu

trabalho de unir pessoas no ciberespaço.



Que outros tenham a mesma boa-vontade que ele e possam construir outras pontes e viadutos virtuais,

seguindo o seu exemplo e ligando os continentes da alma lusófona. Num tempo em que se diz que a

cultura inglesa é a dominante do ciberespaço, parece interessante prestar atenção aos movimentos

sutis e estratégicos de Carlos.



------------------------------------------------

Artigo presente na Antologia de IV Aniversário do Cá Estamos Nós, Vol. 4, Biblioteca Virtual CEN.

E-book em 1ª versão eletrônica disponível para download em:

http://www.bvcaestamosnos.hpg.ig.com.br/antologia.htm]

------------------------------------------------



Copyright Rosy Feros, 2001 - http://rosyferos.blogspot.com



Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui