Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
193 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59112 )

Cartas ( 21236)

Contos (13108)

Cordel (10292)

Crônicas (22195)

Discursos (3164)

Ensaios - (9435)

Erótico (13481)

Frases (46498)

Humor (19274)

Infantil (4456)

Infanto Juvenil (3718)

Letras de Música (5478)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138219)

Redação (3053)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5520)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Discursos-->Prefácio do livro de Lílian Maial - -- 30/09/2006 - 10:07 (Lílian Maial) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
.
A cada vez que surge um poeta, temos a tendência a compará-lo a outros autores e incluí-lo em algum grupo ou, até mesmo, lançá-lo em algum movimento literário. Na verdade, não estamos completamente errados, pois cada luz que nasce e emana seu brilho nessa constelação há que ter algum criador, algum padrão.

Pois é, Lílian Maial criou-se e alçou vôo neste “ENFIM, RENASCI!”, que é um livro e vários livros num só volume. Por vezes, ao lê-lo, tenho a impressão de ver Fênix ressurgindo das cinzas; outra hora, vem aquele cheiro de terra molhada pela chuva; de outra feita, aquela torrente de paixão com intenso erotismo, que faz com que minha pele se arrepie com um calor imenso, e, por fim, aquele lirismo de uma singeleza que nos transporta para as nuvens, numa atmosfera de paz e fluidos etéreos.

Sem dúvida, podemos sentir em sua obra algumas estrelas dessa constelação, pois não poderia deixar de enaltecer a natureza do seu lirismo, com sua espontaneidade emotiva e imagética, que nos remonta a Fernando Pessoa, na sua infinita inspiração, através de suas subpersonalidades ortonímicas. Não poderia deixar de pensar em João Cabral de Mello Neto, quando vemos a natureza e o agreste brotando de seus versos, aparentando um surrealismo latente. Por fim, identificamos a independência, compondo seus versos com uma certa feição neo-simbolista e uma extraordinária liberdade rítmica, característica de nossa poeta “moradora das areias de altas espumas”, conforme se intitulava Cecília Meireles, que chega a ser citada pela autora, que a admira por ter procurado traçar seu caminho sozinha, à margem de grupos ou movimentos literários.

A poeta que ora se apresenta neste universo tem uma personalidade inquieta, dona de uma inspiração inesgotável, que vai do lirismo puro ao erotismo lascivo, capaz de compor versos recheados de luxúria e, inclusive, profanação.

Tive a oportunidade rara de acompanhar todo esse processo de “renascimento” da poeta-mulher, um misto de corpo e espírito em sintonia com o sempre e o fugaz, com o segundo e a eternidade. Em busca de sua verdade, descobriu caminhos, sentimentos e derramou tanta energia, que a cada novo poema pode-se quase palpar o campo eletromagnético de amor à vida.

Este cometa, pequeno astro errante, sem origem e sem fim em sua trajetória, que descreve sua parábola eterna, rasgando os espaços e banhando nossos corações com sua cauda de “pura emoção”, vem agora bater à nossa porta com este magnífico “ENFIM, RENASCI!”.

Vai, cometa, vai seguir o seu destino, a sua trilha, vai banhar com sua cabeleira nossos espíritos, vai mostrar ao mundo a realidade do verdadeiro amor!


Joel S. Tavares


PS: O livro encontra-se a venda na vitrine aí ao lado, é só clicar no título do livro (Enfim, renasci!) que abre a página de pedidos.



Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui