Usina de Letras
Usina de Letras
69 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 62140 )

Cartas ( 21334)

Contos (13260)

Cordel (10447)

Cronicas (22529)

Discursos (3238)

Ensaios - (10334)

Erótico (13566)

Frases (50548)

Humor (20019)

Infantil (5415)

Infanto Juvenil (4749)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1376)

Poesias (140778)

Redação (3301)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1958)

Textos Religiosos/Sermões (6172)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Artigos-->A política na UTI -- 19/07/2004 - 22:25 (Athos R. Miralha da Cunha) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos




A política na UTI

Athos Ronaldo Miralha da Cunha



O episódio da visita de Paulo Maluf a UTI de um hospital em São Paulo nos coloca, mais uma vez preocupados em relação aos políticos, ou melhor, a politicagem eleitoreira. Isso não é uma ação política e sim um “modus operandi”.



É inacreditável que esse candidato tenha eleitores e inadmissível que ainda postule o cargo de prefeito. Felizmente não é essa a essência da nossa política.

Um candidato que invade uma unidade de tratamento intensivo, recinto restrito a parentes em horários determinados e a médicos e enfermeiros, para pedir votos, é no mínimo hipócrita. Seria mais uma desastrosa estratégia de marketing eleitoral? Ingenuidade? Ou um descuido de sua assessoria? Essa visita a UTI foi insensível, demagógica e uma afronta aos direitos humanos. A ética passou “a lo largo” dessa atitude. A direção do hospital também deverá ser responsabilizada. Afinal, de quem partiu a autorização?



No entanto, nesse emaranhado de denúncias e os escândalos que pululam por esse país e o descrédito em relação aos políticos a impressão que temos é que a política está na UTI e, infelizmente, em coma e cheia de tubos para garantir uma sobre-vida.



Mas nem tudo está perdido. Devemos ser otimistas com a política e, principalmente, com os avanços democráticos da nossa sociedade. São inúmeros os políticos sérios e honestos, que colocam a coisa pública acima dos interesses pessoais. No entanto, são os maus políticos que ocupam as páginas dos jornais e espaços na mídia com os seus malfadados desmandos e descarada prática do toma-la-da-cá transformando seus gabinetes em balcões de negócios.



Qual o perfil de um político moderno? Uma pessoa sensível, humanitária, com ideais definidos e transparentes. Uma pessoa amante das artes, defensora do meio ambiente e desprovido das fogueiras das vaidades do poder.



Existe esse sujeito? Penso que sim. E são esses cidadãos que devemos identificar no próximo dia 03 de outubro quando elegeremos os vereadores e prefeitos. Logo estaremos assistindo a propaganda eleitoral na televisão e haverá um desfile de caras e promessas em horário nobre. E mais uma vez o eleitor será testado em sua inteligência e capacidade de discernimento para escolher o melhor administrador para a sua cidade.



A política até pode estar na UTI, mas é com o exercício político que a cidadania alcançará seus anseios. E elevará a democracia e o fazer político a sua plenitude em que apenas os decentes a exercerão.





Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui