Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
182 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 58296 )
Cartas ( 21211)
Contos (12892)
Cordel (10242)
Crônicas (22116)
Discursos (3152)
Ensaios - (9262)
Erótico (13457)
Frases (45483)
Humor (18988)
Infantil (4216)
Infanto Juvenil (3309)
Letras de Música (5511)
Peça de Teatro (1329)
Poesias (138804)
Redação (3008)
Roteiro de Filme ou Novela (1059)
Teses / Monologos (2418)
Textos Jurídicos (1935)
Textos Religiosos/Sermões (5292)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Humor-->Felizes para sempre...? -- 17/10/2020 - 11:36 (Brazílio) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

 

 



O Príncipe encantador queria porque queria se casar...finalmente, para honra e glória do pai e da mãe, majestosos e majestáticos, conquanto já um tanto idosos.

E foi na porta de Cinderela que bateu primeiro o impetuoso e real mancebo. Mal ela lhe abriu, e aquele membro viril ele já lhe exibiu...perguntando:
 
 - O que vês, jovem e bela donzela?

Ao que ela lhe responde, sem tergiversar:

 - O pênis de Vossa Real Alteza!

E a reação do tentador Príncipe é imediata:

 - Não me serves, infelizmente. Para casar-me quero donzela pura e inocente!

E a seguir, eis o Príncipe batendo à porta de Rapunzel, com a mesma atitude e mostritude que tivera quando a visita a Cinderela:

 - Diz-me aqui, celestial Rapunzel: o que vês com teus olhos de mel?

 - Alteza Real, simplesmente vejo Vosso imperial bilau...

Mais uma vez, o Príncipe se frustra, como um torturado do Brigante Ustra:

 - Não me serves, devassa donzela cheia de graça, quero por esposa uma jovem inocente...


Chegada a vez de Chapeuzinho Vermelho, comunistinha carente de um relho, o Príncipe, mal abertas, porta e braguilha, exibe-lhe a masculinidade incontinenti;

 - O que aqui vês, donzelinha do meio camponês?

Vejo aí, Alteza das Alturas, vejo uma minhoquinha...

Surpreso, o Príncipe não perde seu tempo. Toma a mão da jovem e lhe propõe casamento de imediato.

Realizada a real boda, o casa parte para a primeira real fôda. E o Príncipe então faz a revelação à noivinha comunistinha:

 - Minha querida, isso aqui não é minhoquinha, sua tontinha...isso aqui é um cacete do caralho, um rojão para te arrombar...e fazer-te bela, casta e do lar...

Ao que Chapeuzinho responde, categoricamente;

 - É minhoquinha, sim. Não retiro o que vos disse desde a primeira hora.
Cacete do caralho é o lobo-mau, para o qual, não há ato falho...
 

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 24Exibido 7 vezesFale com o autor