Usina de Letras
Usina de Letras
26 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 61949 )

Cartas ( 21333)

Contos (13252)

Cordel (10444)

Cronicas (22529)

Discursos (3235)

Ensaios - (10254)

Erótico (13559)

Frases (50353)

Humor (19993)

Infantil (5387)

Infanto Juvenil (4724)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1375)

Poesias (140709)

Redação (3290)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1956)

Textos Religiosos/Sermões (6141)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->Folha Seca -- 25/04/2000 - 17:54 (André Mellagi) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos


Algazarra no ninhal suspenso

em copas de retorcidas árvores,

sombra pela beira do riacho

abriga o panapaná amarelo.



Curtos adejos de borboletas

chafurdam no lodo e na goela

sem interromper a sinfonia

das águas, dos piados uníssonos.



Sobre a palma da mão pequena asa,

folha contorcida e aveludada

do tapete de escamas marrons

esboça o infinito em espiral.



Veias ramificam e afunilam

conduzidas na nervura seca

enchendo húmus nos sulcos da mão,

aninhando o berço das raízes.



Ferve o caldeirão da soalheira.

Cavalo morto sobre a morraça,

a oficina demiúrgica exala

o miasma a rebentar os grãos.



Nas ilhotas de barro rachado

pegada rápida de criança

revolve a lama e foge do mato

cravejado nas margens do rio.





André Mellagi
Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui