Usina de Letras
Usina de Letras
60 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 60230 )

Cartas ( 21285)

Contos (13379)

Cordel (10346)

Cronicas (22252)

Discursos (3185)

Ensaios - (9657)

Erótico (13515)

Frases (47964)

Humor (19472)

Infantil (4770)

Infanto Juvenil (4108)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1344)

Poesias (139137)

Redação (3095)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2436)

Textos Jurídicos (1949)

Textos Religiosos/Sermões (5760)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Infanto_Juvenil-->A criação do Japão / Izanagi e Izanami -- 14/02/2009 - 11:30 (CARLOS CUNHA / o poeta sem limites) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos











O MAIS NOVO PONTO DE ENCONTRO DOS BRASILEIROS QUE MORAM NO JAPÃO
Onde quem manda é a boca. Além dos pratos especiais da casa servimos refeições rápidas da deliciosa comida brasileira, todos os dias. Na madrugada divirta-se, cante, tome drinks especiais, muita cerveja bem gelada e não deixe de saborear nossas porções. A sobremesa principal é os beijos ardentes que rolam até o dia amanhecer































As sete maravilhas do mundo! As Pirâmides do Egito, que foram construídas entre 2650 e 2500 a.C., é a única Maravilha que permanece em pé até hoje. Quanto mistério não deve estar ainda escondido sob as imensas pedras. Quais as relações, se é que existem...















O poeta sem limites apresenta em

Lendas do Japão, que encantam o leitor










A criação do Japão / Izanagi e Izanami


No princípio, existia apenas uma massa ocêanica viscosa. Desta emergiram um substância semelhante ao junco, que se tornou uma divindade, e ao mesmo tempo, duas outras criaturas divinas, um macho e uma fêmea. Não se sabe grande coisa acerca desta trindade primordial; mas diz-se que, da "alta planície do céu" onde moravam, foram produzindo gerações e gerações de deuses e deusas até que, a certa altura, surgiram as divindades Izanagi e Izanami, nomes que querem dizer, respectivamente, "macho que convida" e "fêmea que convida".
Izanagi e Izanami desceram do céu para o caos oceânico, caminhando sobre um arco-íris, segundo a maioria das versões, como se fora uma ponte. Chegados ao oceano primordial, Izanagi mergulhou nele a sua lança. Ao levantá-la, as gotas que caíram da ponta solidificaram-se, formando assim a ilha de Ono-koro, "a que seca sozinha".
Apesar de Izanagi e Izanami serem irmãos, casaram-se na ilha de Ono-koro. Aprenderam a arte de amar através da observação de duas alvéolas e ainda hoje estes pássaros aparecem associados ao casal. Nem mesmo o deus dos espantalhos consegue assustar as alvéolas, a recompensa pelo bem que fizeram.
Entre a prole de Izanagi e Izanami contam-se acidentes geográficos, as outras ilhas japonesas, quedas d`água e montanhas, árvores, ervas e o vento. Foi o vento que completou a criação do Japão, pois, dispersando densas névoas que tudo cobriam, revelou pela primeira vez as ilhas japonesas no seu conjunto. O primeiro filho dos dois deuses morreu ainda no ventre da mãe e esta criatura, que se parecia com uma anêmona do mar, foi evidentemente colocada no fundo do oceano.
Todos os outros filhos sobreviveram. O último a nascer, depois de todas as ilhas japonesas terem sido criadas e povoadas, causou a morte da mãe, tratava-se do deus do fogo. Pouco depois de o ter dado à luz, Izanami adoeceu com febres altíssimas que a consumiam e que, finalmente, acabaram por matá-la. Izanami desceu então aos infernos, Yomi, a "terra da escuridão" onde, apesar dos seus protestos, Izanagi a seguiu. Izanami, para castigar o marido de a ter perseguido, escorraçou-o, ajudada por espíritos femininos horríveis, mas Izanagi conseguiu fugir para o mundo dos vivos. À saída de Yomi, Izanami gritou-lhe que, em vingança, despovoaria o mundo matando mil pessoas por dia, Izanagi replicou-lhe que, por cada mil pessoas que morressem, mil e quinhentas seriam criadas.
Neste mito, o casal divino estabelece o modelo da natureza para todos os tempos e cria, pelo seu "divórcio", a vida e a morte. Izanagi, de fato, manteve a sua palavra e depois de uma purificação ritual que fez desaparecer as conseqüências da sua descida aos infernos, deu origem à deusa do Sol, ao deus da Lua e a Susanoo, o deus das tempestades, todo os três oriundos, segundo uma das versões, respectivamente dos olhos e do nariz de Izanagi.







”LIVROS GRATIS” para todos os gostos e idades

MEMÓRIAS DE UM SARGENTO DE MILÍCIAS

(Manuel Antonio de Almeida)

OS SERTÕES – VOLUME 1

(Euclides da Cunha)

Os Sertões – VOLUME 2

(Euclides da Cunha)

SENHORA

(Jose de Alencar)

A MORENINHA

(Joaquim Manoel de Macedo)


FILOMENA BORGES

(Aluisio Azevedo)

O DEMÔNIO FAMILIAR

(Jose de Alencar)

OS LUSIADAS

(Luis de Camões)

O CORTIÇO

(Aluísio Azevedo)

A CARNE

(Julio Ribeiro)

O BARRIL DE “AMONTILLADO”

(Edgar Allan Poe)

FERNÃO CAPELO GAIVOTA

(Richard Back)

CAPITÃES DA AREIA

(Jorge Amado)

O HOMEM QUE SABIA JAVANÊS

(Lima Barreto)

O ROUXINOL E A ROSA

(Oscar Wilde)

O SUBSOLO

( Fiódor Dostoiévski)

A CIGARRA E A FORMIGA

(William Somerset Maugham)








O Poeta sem limites em outros espaços da NET











Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui