Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
87 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57502 )
Cartas ( 21184)
Contos (12607)
Cordel (10176)
Crônicas (22280)
Discursos (3141)
Ensaios - (9088)
Erótico (13415)
Frases (44274)
Humor (18616)
Infantil (3901)
Infanto Juvenil (2847)
Letras de Música (5479)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138230)
Redação (2946)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2411)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4980)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cartas-->Viagem* -- 26/07/2016 - 12:36 (Benedito Pereira da Costa) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Viagem*


Obrigado, Socorro. Lindos versos! Embarco-me na viagem. Leio-os com embevecimento. Só não gosto quando tenho de me desembarcar, porque os últimos versos anunciam o fim da viagem.

Transmito com cópia para o Dr. Adriano, nosso querido amigo, porque não o quero privar da satisfação grandiosa de conhecer os seus versos.

Com a estima e o abraço do
Benedito


Planejo mais uma viagem...
Preciso soltar as amarras do meu ser,
que insistem em prender a minha inspiração !
Percorro os mais íntimos espaços da minha alma.
Não será fácil esta abordagem...


Tento tocar cada pedaço nunca explorado !
O âmago não permite alcançar...


Encontro os meus sentimentos arquivados,
agarrados as entranhas de seu tão protegido espaço:
Amor
Sonhos
Ilusões
Desilusões
Pesadelos
Encontros
Desencontros
Despedidas
Reencontros...


Abrigada em meu destino,
desfaço as malas.
A incerteza instala-se em meu ser...
Não sei ao certo se devo prosseguir neste fascínio.


Preciso ser prudente nesta expedição.
Os meus sentidos entram em estado de alerta !
O meu peito pressente:
Não deverei explorar os meus anseios...
Afinal, são somente meus ?!...


Persistir nesta invasão silenciosa,
poderá custar o fim de uma empreitada,
e o sofrimento de uma procura ambiciosa...


Não é fácil decidir !
Encontro uma resistência no âmago...
A alma chora...
Fecha as portas antes abertas !
Penso... Repenso...
A dúvida me persegue...
Vêm as indagações:
Ah, coração inseguro,
deverei prosseguir ?


Decido voltar ao ponto de partida.
deixar a alma quieta,
e o coração livre como antes!
Sem qualquer elucidação que a alma lhe afete...
Encerro a viagem de uma alma poeta!


* Brasília, DF, 26/07/2016. Recebido nesta data de Socorro Lima Dantas, querida amiga.


Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 24Exibido 262 vezesFale com o autor