Usina de Letras
Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
143 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 58838 )
Cartas ( 21227)
Contos (13023)
Cordel (10266)
Crônicas (22173)
Discursos (3163)
Ensaios - (9365)
Erótico (13473)
Frases (46077)
Humor (19152)
Infantil (4363)
Infanto Juvenil (3562)
Letras de Música (5469)
Peça de Teatro (1332)
Poesias (137980)
Redação (3039)
Roteiro de Filme ou Novela (1060)
Teses / Monologos (2425)
Textos Jurídicos (1940)
Textos Religiosos/Sermões (5434)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->Mãe 2017 -- 21/01/2021 - 20:38 (AROLDO A MEDEIROS) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
.

Mãe 2017

 

Aroldo Arão de Medeiros


     Samuel – Mãe, faremos pequena homenagem para a senhora. Usaremos palavras que costuma empregar e, quase sempre, nos faz rir. E quando escutamos outra pessoa falar, lembramos com amor da senhora.

 

     Rubens – Esperamos que, ao final, não nos premie com uma camaçada de pau.

 

     Flávio – Perto de nós estão as nossas mulheres e, temos a certeza de que, diante delas, a senhora não vai nos deixar passar vergonha. Assim posto, iniciemos.

 

     Samuel – A Jane troche um litro de azeite de Olívia para dar mais goxto na salada.

 

     Rubens – Esperamos que, depois do almoço, planejemos nova festa e que a senhora deixe por nossa conta afirmando: Vocêx que sabe.

 

     Flávio – Trocando um pouco de assunto, mãe, quando ficarmos em dívidas, qual carro novo será o nosso próximo? Deveremos comprar um Colan?

 

     Samuel – Uma das noras preparou como sobremesa, arroz doce, banana nevada, cassata e outro doce que agora não lembro qual é. O que desejamos é que a senhora coma, goste e não diga: Não sou de doçura.

 

     Rubens – Samuel, a mãe pode falar o que quiser. Não podemos é perder a boquinha lá na casa do pai. Entendesse?

 

     Flávio – Mãe, como o figo de boi tem vitaminas A, B, C, cobre, zinco, esperamos que a Inês goste e coma bastante.

 

     Samuel – Nas travessas de inôx tem bastanta coisa que a senhora gosta.

 

     Rubens – A gente espera que o surraxco esteja no gosto da senhora, que por enquanto é a única mãe entre nós.

 

     Flávio – Da partileira vieram a mox muxcada e o shushi.

 

     Samuel – Para terminar vou falar igual a senhora: “Seus abobados. Porque que tu, Samuel, não calaaboca”.

 

     Samuel, Rubens e Flávio – Ahhh, faltou apenas uma. Nós só dissemos tudo isto porque amamos demais a senhora.

 

 

14/05/2017 

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 11Exibido 21 vezesFale com o autor