Usina de Letras
Usina de Letras
13 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 61953 )

Cartas ( 21333)

Contos (13252)

Cordel (10444)

Cronicas (22529)

Discursos (3235)

Ensaios - (10258)

Erótico (13560)

Frases (50354)

Humor (19993)

Infantil (5388)

Infanto Juvenil (4724)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1375)

Poesias (140710)

Redação (3290)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1956)

Textos Religiosos/Sermões (6141)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cartas-->Não há riqueza no dinheiro I -- 08/01/2013 - 15:14 (Andre Luis Aquino) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
O cofre do banco contém apenas dinheiro. Frustar-se-á quem pensar que nele encontrará riqueza. (Carlos Drummond de Andrade)

Com relação às relações trabalhistas de maneira bem simplificada são dois lados: de um lado a burguesia detentoras dos meios de produção e do outro o proletariado os vendedores de força de trabalho aos burgueses. Em torno disso toda a nossa sociedade se organiza já há séculos. Dessa maneira é impossível que haja uma igualdade absoluta entre as pessoas já que nesse sistema sempre será necessário que haja um dono e que existam empregados.Em havendo dono esse sempre será privilegiado em detrimento de seus empregados.Ou seja, simplesmente sempre será mais rico que seus empregados porque ganhará sempre muito mais ao explorá-los.
O que assusta é perceber que em grande parte das situações a maioria aceita essa situação sem questionamentos ou protestos quando poderia não aceitar devido a sua força(por ser mais numerosa). E quando o faz, por isso estão aí os sindicatos que defendem os interesses dos trabalhadores (proletariado), leis são criadas para defender a força de trabalho da exploração excessiva dos donos dos meios de produção (que a rigor e sem máscaras hipócritas, só pensam em lucros nunca no bem estar dos empregados)
A velha luta de classes ainda existe até hoje, o patrão é rico e dá ordens ao seu proletariado, que em uma reação normal não gosta de recebê-las, principalmente quando as condições de trabalho e os salários são precários. Atualmente, como sempre foi, definem-se de acordo com a classe social a que você pertence, quais são seus privilégios ou desvantagens.
É como na novela, o patrão sempre está rico, cercado de luxo, belas mulheres e feliz, enquanto o trabalhador está sempre sofrido e amargurado com a vida, sempre tentando ser independente e se livrar das garras do patrão.
A maior riqueza dos trabalhadores é a sua dignidade, e não deixar o patrão pensar que por dinheiro eles vão vender até a alma. Porque mercenários são eles que são capazes de qualquer coisa pelo lucro. E a vida é muito mais que os olhos podem ver exposto na vitrine.
Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui