Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
233 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57965 )
Cartas ( 21205)
Contos (12826)
Cordel (10235)
Crônicas (22053)
Discursos (3146)
Ensaios - (9196)
Erótico (13452)
Frases (45052)
Humor (18892)
Infantil (4100)
Infanto Juvenil (3143)
Letras de Música (5499)
Peça de Teatro (1328)
Poesias (138530)
Redação (2986)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2416)
Textos Jurídicos (1932)
Textos Religiosos/Sermões (5200)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->CONFINAMENTO NECESSÁRIO -- 16/05/2020 - 18:13 (GERMANO CORREIA DA SILVA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos


CONFINAMENTO NECESSÁRIO


 

 

Desde o instante em que as autoridades médicas e epidemiológicas nacionais recomendaram que as pessoas se mantivessem confinadas nas suas casas, a fim de evitar o contato com pessoas contaminadas pelo coronavírus, que o agricultor Seu Praxedes não tem saído de sua casa, nem mesmo para ir orar na sua igreja.


Por ser um hipocondríaco já conhecido por todos os moradores do seu bairro, ele já deve estar pensando em sair às escondidas para ir ao banco pagar umas contas já vencidas e no retorno ele deverá passar na farmácia local para comprar alguns frascos de álcool em gel e outros medicamentos de seu uso diário, mas está com medo de ser contaminado, principalmente pelo ar que vem de fora de seu ambiente caseiro.


Por estar com muito medo de contrair a Covid-19, ele poderá até lacrar todas as frestas de suas portas e janelas e passar a respirar apenas o ar que for produzido pelo seu ventilador portátil, sendo que essa não é uma atitude recomendável para uma situação como a que todos nós estamos vivendo.


Devido ao seu medo de sair de casa, mesmo com o uso de máscara de proteção, ele está torcendo por possíveis visitas de parentes e amigos, tencionando socorrê-lo de alguma forma, uma vez que seu telefone está temporariamente inativo, devido à existencia de algumas contas telefônicas já vencidas, sendo essa a principal razão de ele não conseguir fazer ligações para falar com pessoas de seu relacionamento.


Além dessas das contas telefônicas ele tem outras contas já vencidas, mas não quer ir ao banco pagá-las com receio de encontrar pessoas infectadas e ao se aproximar delas contrair a doença. Se por um aborto de sorte seu, algum amigo ou conhecido aparecer no portão de sua casa ele certamente ele irá pedir para pagá-las e aproveitará o ensejo para que tal pessoa compre álcool em gel ou similar e mais medicamentos; possivelmente, ele dará um jeito de passar o dinheiro e as contas a pagar por uma porta entreaberta ou por uma das janelas da varanda de sua casa.


Um dos seus vizinhos mais próximos está com medo de que ele consuma todo seu estoque de medicamentos comprados para combater as gripes anteriores e com isso a sua saúde, que não tem sido muito boa até então, se agrave ainda mais. Na intenção de ajudá-lo, esse vizinho tentará, num momento oportuno, se aproximar de uma das portas ou janelas da casa desse agricultor aflito para verificar as datas de validades desses medicamentos, pois ele não sabe ler nem escrever.


Quem o conhece de há muito tempo, tal qual esse seu vizinho, já deve estar esperando alguma alternativa por parte dele para tentar se safar dessa doença. Quiçá ele já tenha descoberto alguma bebida caseira capaz de amenizar sua apreensão ou, na pior das hipóteses, evitar que ele seja infectado à toa, quando numa situação de desespero e/ou descontrole emocional achar que deverá sair de sua casa para resolver seus problemas particulares sozinho.


Coitado do Seu Praxedes! Se sair de casa, mesmo que seja acompanhado, para ir resolver seus problemas correrá o risco de ser contaminado por esse inimigo invisível, mas se ficar em casa, sem qualquer tipo de orientação que verse sobre cuidados preventivos para evitar o contágio, poderá ser pior para a sua saúde física e mental - comentou um lídre religoso local.


Seu Praxedes é muito medroso, mas é extremamente precavido e, apesar de sua situação atual ser meio parecida com aquela vivida por um caçador que está perdido numa mata sem ter um cachorro para lhe guiar, decerto, ele fará de tudo para resolver seus problemas mais urgentes, sem ter de sair de forma temerária desse seu confinamento, ainda que em alguns momentos ele o considere indigesto.



Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 16Exibido 28 vezesFale com o autor