Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
9 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57504 )
Cartas ( 21184)
Contos (12607)
Cordel (10177)
Crônicas (22282)
Discursos (3141)
Ensaios - (9088)
Erótico (13416)
Frases (44276)
Humor (18618)
Infantil (3902)
Infanto Juvenil (2848)
Letras de Música (5479)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138230)
Redação (2946)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2411)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4981)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->Visão -- 26/01/2020 - 11:54 (Padre Bidião) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

Visão


Acordei para morrer. Morri para renascer e crescer por lugares onde os ares não me foram favoráveis. A visão embassou, entretanto caminhei por lugares nunca visitados pela ação humana e vi lá uma floresta que restou por não servir à exploração humananimal. Vi a natureza na beleza intocável e despojada de vaidades tantas. Senti esperança do que acredita na felicidade simples do verde, dos troncos, das árvores centenárias e os canários cantarolavam à volta. Vi o jesuíta tentar catequizar a natureza, mas a floresta reinou e até hoje resiste, na teimosia do pau-Brasil. Pelas ruas e calçadas, vejo essa árvore histórica que não permite esquecermos do passado da nossa história, pois ao contrário do que se vê, a cada pau-Brasil, abraço meus antepassados que reinam enquanto o presente passa e o futuro, ainda é incerto a céu aberto com nuvens poluídas na dor ser gente que amassa no torrado torrão do meu Pilar.


Marcos Palmeira 

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui