Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
221 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57829 )
Cartas ( 21201)
Contos (12767)
Cordel (10224)
Crônicas (22043)
Discursos (3145)
Ensaios - (9164)
Erótico (13441)
Frases (44857)
Humor (18809)
Infantil (4038)
Infanto Juvenil (3015)
Letras de Música (5488)
Peça de Teatro (1325)
Poesias (138418)
Redação (2970)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2414)
Textos Jurídicos (1931)
Textos Religiosos/Sermões (5116)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->Natal de 2019* -- 25/12/2019 - 16:37 (Benedito Pereira da Costa) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

Natal de 2019*

Menos de doze horas. Véspera de Natal. Ao restaurante fui buscar comida. Enquanto aguardava os pratos, aproximou-se de mim homem de uns trinta anos, preto, mal vestido, pronunciou algumas palavras que não ouvi direito. Pensei: deve ser algum embriagado querendo dinheiro para beber mais álcool.  

Na minha negativa, ele saiu depressa e caminhou para o estacionamento que havia ao lado.

Nesse ínterim, supus: pode  ser alguém que precise de almoçar. Corro atrás dele e grito: moço!  moço!  o senhor deseja comida? 

Vira-se e fala: 

-- Sim, estou com fome.

Pude notar que na sua boca havia poucos dentes, sujos e comprometidos. 

Levo-o ao restaurante. Ponho-o sentado à uma mesa. Mando fazer-lhe marmita com tudo o que desejasse comer. Pergunto se quer beber algo. Responde:

-- Suco de laranja.

Tinha meus compromissos e não poderia demorar. Despedi-me. Desejei-lhe Feliz Natal e que não se divorciasse da companhia de Deus! Antes, porém, tive o cuidado de pagar a despesa e avisar que estava tudo acertado.

Nunca mais o vi, apesar de ir frequentemente ao mesmo lugar. Não importa. Fiz o que meu coração e cérebro determinaram. Venturoso momento, impregnado de raciocínio.

Fico feliz. Ainda que momentaneamente, mato a fome de necessitado. Talvez ele jamais se acomode assim: sentado à mesa, comendo tudo com o que sonhava, suco de laranja, sobremesa e nutrindo ilusões maravilhosas.

Enfim, a vida é desse jeito. Se pudermos fazer feliz o semelhante, devemos não omitir esse apoio. Quem torna outrem feliz acaba sendo feliz também!

* Brasília, DF, 25/12/2019.    

 

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 24Exibido 46 vezesFale com o autor