Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
151 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 58131 )
Cartas ( 21211)
Contos (12855)
Cordel (10239)
Crônicas (22079)
Discursos (3147)
Ensaios - (9225)
Erótico (13451)
Frases (45272)
Humor (18933)
Infantil (4151)
Infanto Juvenil (3229)
Letras de Música (5505)
Peça de Teatro (1328)
Poesias (138693)
Redação (2995)
Roteiro de Filme ou Novela (1057)
Teses / Monologos (2417)
Textos Jurídicos (1934)
Textos Religiosos/Sermões (5247)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cartas-->CARTAS DE AMOR III -- 13/02/2012 - 13:56 (getulio silva) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

 

CARTAS DE AMOR III

 

 

 

 

 

Essas cartas de amor

São papéis rasgados, amarelados e borrados

Que só o tempo foi capaz de destruí-las

Pois, o amor declarado nelas

Era improvável, insustentável e imaturo.

Não restaram palavras escritas e hoje,

Não as consigo ler uma só letra escrita

O tempo se encarregou de apagá-las

Da minha memória

E dos papéis que, outrora fostes

Documentos importantes

Do amor que dediquei a você!

 

 

 

Ah, o tempo é implacável

E não suporta mentiras

E o amor que jurastes ser eterno

Não sobreviveu às intempéries

E a inconstância de um amor fugaz!

A efemeridade é coisa da paixão

E o amor transcende aos vendavais,

E depois, repousa na calmaria

Dos oceanos azuis!

 

 

 

Suas cartas de amor foram ridículas

E o tempo encarregou de apagá-las

Não restando uma só letra

Como testemunha de um amor

Que, não sobreviveu ás intempéries

Do tempo!

 

 

 

Getúlio silva 2012.

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui