Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
126 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57033 )
Cartas ( 21169)
Contos (12592)
Cordel (10075)
Crônicas (22196)
Discursos (3134)
Ensaios - (8999)
Erótico (13395)
Frases (43631)
Humor (18452)
Infantil (3772)
Infanto Juvenil (2685)
Letras de Música (5470)
Peça de Teatro (1316)
Poesias (138230)
Redação (2924)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2400)
Textos Jurídicos (1925)
Textos Religiosos/Sermões (4851)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->Dia das Crianças* -- 12/10/2019 - 19:18 (Benedito Pereira da Costa) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Dia das Crianças*


Comecei a trabalhar muito cedo, e não me arrependo nem pouquinho. Infância humilde (se é que a tive), mas saudável e feliz.

Recordo-me de algumas brincadeiras, que faziam a festa:
. andar de bicicleta;

. caminhar no enxurro;

. comer frutas em pomar, no quintal da minha vovó;

. correr pelas campinas à procura de frutos silvestres;

. nadar nos rios, porque ir a clube era só uma vez (no fim do ano) quando minha tia do ensino primário (uma deusa!) levava os aprovados e que tivessem bom comportamento;

. fazer piqueniques (raros mas prazerosos);

. brincar de professor (é claro que eu era sempre aluno);

. passear no horto municipal;

. empinar papagaios de papel (pipas);

. brincar de policial (prendíamos um colega, considerado malfeitor, e os outros tentavam soltá-lo);

. dirigir caminhão, ônibus, automóveis; 

. jogar: bolinhas de gude, futebol, finca, flechas;

. fabricar arcos;

. construir os próprios brinquedos (todos humildes; porém, feitos com ilusão e amor);

. comer puxa-puxa, doce delicioso, cuja unidade era vendida na porta da minha escola ao preço de Cr$ 0,50 (moeda de 1952);
. vender (ou trocar por bolinhas de gude) alguns sacos de estopa que o meu papai usava para transportar cereais.

Muitas coisas das quais me esqueci; entretanto, me lembro de que era feliz no meu mundo infantil. Pra mim, todos os dias eram "Dia das Crianças".
Imortalizo essa impressão na crônica "Retrospecto", livro Saudade, Campinas (SP), Editora Komedi, 2007, pp. 110/113; também neste site, com o mesmo título, em Crônicas; de igual forma, na poesia "Criancice", livro Estrada, Campinas (SP), Editora Komedi, 2007, pp. 43/44; também neste site, com o título "Criancice", em Poesias.

* Brasília, DF, 12/10/2019. Por ocasião do "Dia das Crianças".
.  




Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 23Exibido 41 vezesFale com o autor