Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
143 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 58131 )
Cartas ( 21211)
Contos (12855)
Cordel (10239)
Crônicas (22079)
Discursos (3147)
Ensaios - (9225)
Erótico (13451)
Frases (45271)
Humor (18933)
Infantil (4151)
Infanto Juvenil (3229)
Letras de Música (5505)
Peça de Teatro (1328)
Poesias (138693)
Redação (2995)
Roteiro de Filme ou Novela (1057)
Teses / Monologos (2417)
Textos Jurídicos (1934)
Textos Religiosos/Sermões (5247)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cartas-->CARTAS DE AMOR II -- 20/01/2012 - 12:07 (getulio silva) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

CARTAS DE AMOR II

 

 

Amareladas, ruídas e mofadas

Pelo tempo!

A caligrafia quase apagada

Que um dia fora legível

Ainda, deixa me ler a palavra

Amor e trechos do sentimento

Que nos uniu outrora!

 

 

Talvez, as lacunas que não

Consigo ler agora, fora palavras

Risíveis ou ridículas que o

Tempo se encarregou de apagá-las.

No amor só se prevalece aquilo

Que um dia fora verdadeiro!

 

 

A sustentável leveza das palavras

Falsas, acaba-se com o passar do tempo!

Mesmo assim, ainda consigo ler trechos e

Frases com sentimentos profundos: ”Eu te amo”

“Serei sua eternamente” “Só o tempo vai-lhe

“Provar o meu amor”...

Os trechos apagados deveriam ser ridículos

Ou inconstantes que não suportaram

A Implacabilidade do tempo!

 

 

 

Estas cartas são minhas

Único legado que restou do nosso amor!

Hoje, não me trazem sofrimentos

Só recordações de um amor que se fora

E o tempo, ainda, não apagara do

Meu coração!

 

 

 

Getulio Silva 2012. 

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui