Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
12 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57504 )
Cartas ( 21184)
Contos (12607)
Cordel (10177)
Crônicas (22282)
Discursos (3141)
Ensaios - (9088)
Erótico (13416)
Frases (44276)
Humor (18618)
Infantil (3903)
Infanto Juvenil (2848)
Letras de Música (5479)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138230)
Redação (2946)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2411)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4981)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->Espanapó na Vitalina Espantada na Espanha -- 29/06/2019 - 09:06 (Padre Bidião) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

Padre Bidião abre espaço para aleluia na Alvorada do mosteiro Bidiônico 

Espanapó na Vitalina Espantada na Espanha 

Do pó viemos e ao pó nos ares iremos num Brasil na esplanada das asas capitaneadas por sabes lá nosso fim, como será. Apesar de termos vindo do pó na crença de Vitalina a pregar a salvação de espíritos cálidos e portanto, pecaminosos, a Espanha transformou-se numa nação com espanto na Salvação por Vitalina a distribuir o pó da salvação de almas perdidas. 

Ao proferir as palavras evangélicas no amém desejado, o Pastor Jarmelindus Potizan citou a transformação do ser na tese do pó, pótetizado e pótetizando na filosofia internacional aos ares pó que do pó surgimos e ao pó retornaremos na aleluia de có na ina de Bispo Bozianus. A profecia do milagre pótetizado na aleluia do caixa 2 na lei do dízimo, fez surgir por entre a multidão de fiéis o grito:

“Tá doendo irmão? Não, Pastor. Está pózinho na papa dos templos. Amém meu capitão!”

Continuando, o Pastor prosseguiu no sermão:

“Respire fundo e receba a aleluia na velocidade de um aviador.”

Então a tecnologia do pó, assim citada pelo pastor que,  homenageando o leite em pó, afirmou que “vivemos hoje no Brasil o momento do pó.”

Pó sobe e pó desce, no movimento das forças na arma Brasileira nas cores verde oliva.

Marcha assim, a dor povo na poeira química dos pós das indústrias no reto pensar da filosofia Bozo no bozó humananimal do tabuleiro das brutas pedras de um Pedro fedido na essência Cristo. Ainda foi citado o torrado de outrora, para os espirros no espírito de um passado, que era marrom e feito de tabaco. Hoje, é branco como a quinta avenida. Antes, o marrom chamava-se tabaco e o pó branco cocaína. Hoje, é cocaína. Então, contemos um, dois, três já pó! Para assim, dar continuidade à marcha dos soldados de Bozo.

Palavra dos salva ação na palavra pótetizada!

Padre Bidião 

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui